Acompanhe

Mara Gabrilli participa de debate em defesa do uso medicinal da cannabis

Senadora Mara Gabrilli (SP) durante reunião em comissão no Senado/ Foto: Agência Senado

A senadora Mara Gabrilli (SP) participou de um programa na Globonews para debater a regulamentação da cannabis medicinal no Brasil. Segundo ela, pesquisa recente do DataSenado mostra que 79% dos brasileiros acham que medicamentos a base de cannabis devem ser distribuídos pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

A tucana disse que no mundo pelo menos 40 países já regulamentaram o uso medicinal da planta. Para ela, o prazo não pode mais esperar. “Por que o Brasil tem que ir na contramão. A gente não está falando de drogas, de entorpecente, para se divertir”, reagiu a senadora.

Mara Gabrilli disse que é importante diferenciar o uso medicinal da cannabis e suas outras utilizações. “A gente tem de ter cuidado e sensibilidade de quem está sofrendo de dor. As pessoas pobres não terão acesso. Isso não é justo com o povo brasileiro”, afirmou.

Debates

O Senado debate a questão, enquanto a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) também discute o assunto. Há divergências entre os favoráveis e os contrários por receio do uso inadequado da planta.

O texto em debate detalha a produção, a distribuição, o transporte e a comercialização da cannabis medicinal à vigilância sanitária, com monitoramento da cadeia produtiva e do mercado.

Pela proposta em discussão inclui normas relacionadas ao plantio, à cultura e colheita do cânhamo industrial sejam de responsabilidade de uma autoridade agrícola do estado. Também devem ser fomentados pelo Poder Público o desenvolvimento científico e tecnológico sobre medicamentos derivados da cannabis e sobre a produção do cânhamo industrial.

Experiências

Usuária de um medicamento a base de cannabis, Mara Gabrilli, durante sessão no Senado, fez um apelo emocionado para que o senador não impedisse a votação da sugestão. Segundo ela, rejeitar a proposta seria virar as costas para as famílias que precisam do medicamento e sofrem.

De acordo com especialistas que defendem o uso medicinal, várias doenças podem ser tratadas com o cannabidiol.

No caso da epilepsia, o CBD aumenta a carga de anandamida em áreas da massa cinzenta. Para o tratamento de ansiedade, é aplicada uma combinação de CBD e THC que agem em duas frentes.

Também há prescrições para o tratamento de esclerose múltipla são recomendados THC e CBD. Para dor crônica, também há a aplicação do medicamento a base de cannabidiol.

 *Com informações da Abril Saúde, Agência Brasil e redes sociais da senadora Mara Gabrilli (SP).