ImprensaNotícias

Grupos a favor do impeachment programam atos dia 31 de julho para pressionar Senado

(Rovena Rosa/Agência Brasil)
 (Rovena Rosa/Agência Brasil)

(Rovena Rosa/Agência Brasil)

Grupos contrários ao retorno da presidente Dilma Rousseff ao Palácio do Planalto organizam novas manifestações para pressionar o Senado a aprovar, de forma definitiva, o impeachment da petista. Movimentos como o MBL (Movimento Brasil Livre), o Vem Pra Rua e o Nas Ruas programam diversos atos contra Dilma no dia 31 de julho.

Segundo matéria publicada nesta segunda-feira (13) pelo jornal Folha de S. Paulo, o protesto foi articulado em conjunto com todos os movimentos que são a favor do impedimento, com mais de um mês de antecedência. Esse é o mesmo modelo adotado nos protestos anteriores em que milhares de pessoas se reuniram pacificamente por todo Brasil contra a permanência de Dilma no poder.

Além do impeachment, os grupos cobram as prisões do ex-presidente Lula e dos ex-ministros petistas José Eduardo Cardozo e Aloizio Mercadante.

A presidente afastada ainda precisa ser julgada em definitivo pelo Senado, que determinará se ela cometeu ou não crime de responsabilidade, para que retorne à presidência ou deixe Planalto oficialmente. A expectativa é que a votação ocorra em agosto.