economiaImprensaNotícias

Recessão leva juros do cartão de crédito atingir marca de 449% ao ano em março

inadimplencia_economia_herminiooliveira_ABrOs brasileiros nunca pagaram tão caro para tomar empréstimos ou pelas transações financeiras realizadas nos bancos. Com a recessão econômica instalada pelo governo da presidente Dilma, a média das tarifas do rotativo do cartão de crédito ficou em 449,1% ao ano – maior índice desde março de 2011. Já os juros médios cobrados pelos bancos nas operações com cheque especial atingiram em março a marca inédita de 300% ao ano – taxa mais alta desde julho de 1994, ou seja, há 22 anos.

De acordo com matéria do jornal Correio Braziliense desta sexta-feira (29), nem os juros médios da carteira total do consignado, que têm as menores taxas do mercado financeiro, escaparam do aumento, atingindo 29,9% ao ano. É o maior resultado desde outubro de 2011.

Para especialistas ouvidos pelo jornal, os aumentos – divulgados pelo Banco Central nesta quinta-feira (28) – estão diretamente ligados à crise econômica que já se encaminha para uma depressão. A expectativa do mercado financeiro para o Produto Interno Bruto (PIB) aponta para uma queda de 3,88%, o que já superaria o resultado de 2015, mas pode ser ainda maior. Alguns analistas não descartam um encolhimento do PIB superior aos 4,3% registrados em 1990, no governo Collor.