ArtigosImprensa

“A hora da rua”, por Solange Jurema

Maceió-7-300x200No próximo domingo os 513 deputados federais eleitos pelo povo brasileiro vão decidir o nosso futuro politico. Se votarem a favor da abertura do procedimento de impeachment da atual Presidente da República o mundo politico do país começará a se reconciliar com seus representados.

A vitória na Comissão Especial da Câmara dos Deputados que analisou o processo e admitiu-o é significativa e mostra a tendência do plenário da Casa em aprovar a abertura do impeachment e a remessa do processo para o Senado Federal, onde de fato haverá um julgamento definitivo sobre a permanência ou não da Presidente da República no cargo.

Naturalmente, os parlamentares brasileiros precisam de um respaldo ainda maior das ruas para votar de acordo com o desejo da população.

A hora é agora.

É a hora da rua!

É a hora de marcarmos nossa posição contra toda essa corrupção.

Somente o saque do PT aos cofres da Petrobras foram oficialmente calculados como de R$ 6,2 bilhões, o que daria para construir cerca de 516 mil creches em todo o país para atender aproximadamente 60 milhões de crianças!

Essa relação que todos nós precisamos ter: dinheiro público desviado significa menos qualidade de vida para a população.

Do mesmo modo, precisamos demonstrar que somos contra toda essa irresponsabilidade fiscal, que traz enormes prejuízos a economia do país, ao cotidiano de toda a mulher que vai ao supermercado e vê o absurdo aumento de preços dos gêneros alimentícios, fruto de uma desastrosa politica econômica.

Segundo as pesquisas de opinião pública, quase dois terços da população quer a saída da presidente e as manifestações de março deste ano se tornaram um marco: foi a maior de toda a história política brasileira.

Em Brasília, nas demais capitais, nas cidades do interior do Brasil, vamos nos mobilizar e dizer “não!” a tudo isso que está aí.

Sem a nossa presença nas ruas, sem a nossa legítima pressão sobre os nossos representantes na Câmara dos Deputados, eleitos para refletir nosso pensamento e nosso projeto político, não conseguiremos afastar o nefasto governo de Dilma Rousseff da Presidência da República.

Vamos levar nossas famílias, convidar amigos e vizinhos e formar uma corrente pela moralidade na política, pela honestidade no trato do dinheiro público e mostrar toda a nossa indignação.

Só assim o parlamento responderá positivamente ao apelo de toda a nação e seu povo.

*Solange Jurema é presidente do Secretariado Nacional da Mulher/PSDB