PSDB Mulher pelo Brasil

Gestões tucanas tornam Extrema cidade mais desenvolvida do país

extrema foto divulgacaoExtrema, no Sul de Minas, foi considerada a cidade mais desenvolvida do Brasil, de acordo com o Índice Firjan de Desenvolvimento Municipal (IFDM), elaborado pela Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan). Com base em dados de 2013, a instituição avaliou vários indicadores, como educação, saúde, emprego e renda. Os resultados do levantamento nacional foram divulgados pela revista Exame no dia 6 de janeiro.

O município de 28.564 habitantes, que fica a 484 quilômetros de Belo Horizonte, é administrado há mais de duas décadas pelo PSDB. Também no Sul de Minas, Extrema encontra-se em posição de destaque, ocupando a quarta posição do PIB regional, atrás apenas dos maiores municípios da região, como Varginha, Poços de Caldas e Pouso Alegre.

A receita da cidade para 2016 é estimada em R$ 162 milhões e, no final de 2015, a prefeitura possuía em caixa cerca de R$ 40 milhões, um fato quase inédito em se tratando de Brasil.

Ao apresentar as 50 cidades mais desenvolvidas do Brasil, os responsáveis pelo estudo do Sistema Firjan (Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro) ressaltaram que em menos de uma década Extrema pulou da 569ª posição para o primeiro posto do ranking graças a uma série de avanços nas áreas de Educação e Saúde.

“Extrema é um caso interessante, porque ele (o município) conseguiu reverter, justamente, as conquistas econômicas dele para a área social”, destaca Tatiane Sanchez, chefe da Divisão de Pesquisa e Estatística do Sistema Firjan. (ASSISTA AO VÍDEO)

O IFDM – Índice Firjan de Desenvolvimento Municipal – é um estudo do Sistema Firjan que acompanha anualmente o desenvolvimento socioeconômico de todos os mais de cinco mil municípios brasileiros em três áreas de atuação: Emprego e renda, Educação e Saúde. Criado em 2008, ele é feito, exclusivamente, com base em estatísticas públicas oficiais disponibilizadas pelos ministérios do Trabalho, Educação e Saúde.

“Para se ter uma ideia, a cidade possui um mercado de trabalho com capacidade para empregar 65,7% de sua população em idade ativa – o dobro da proporção média do país. Mas não é só isso. Extrema também erradicou o abandono escolar no Ensino Fundamental e possui um IDEB médio de 6,1 – enquanto a média do país é de 4,5”, exemplificou a reportagem da revista Exame. (LEIA AQUI)

A qualificação da mão de obra da população também foi uma preocupação das administrações tucanas de Extrema. Há dez anos, a prefeitura implantou o Programa Bolsa Estudantil, que paga até 50% da mensalidade dos jovens que querem cursar uma faculdade, fazer uma pós-graduação, frequentar um curso técnico ou profissionalizante. O programa já beneficiou quatro mil alunos. Foram investidos R$ 7,7 milhões na formação de profissionais qualificados.

Do PSDB-MG