ImprensaNotícias

Evidências ligam Odebrecht a obras em sítio e sugerem que Lula seja proprietário do imóvel

Brasília- DF 20-11-2015 Foto Lula Marques/Agência PT Ex presidente Luiz Inácio Lula da silva e o presidente do PT Rui Falcão na abertura do terceiro congresso juventude do PT.

LM_Juventude_Foto_Lula_Marques_20112015_0012Novas evidências ligam a empreiteira Odebrecht a obras no sítio Santa Bárbara, em Atibaia, interior de São Paulo, frequentado pelo ex-presidente Lula e sua família. Rogério Pimentel, ex-assessor do petista, disse à força-tarefa da Lava Jato que recebeu dinheiro do engenheiro da Odebrecht Frederico Barbosa para pagar despesas de reformas feitas no imóvel em 2010. O testemunho reforça que a empreiteira teria bancado grande parte das obras no sítio. O senador Ataídes de Oliveira (PSDB-TO) acredita que Lula garantiu à empresa uma contrapartida pelo serviço.

“Ninguém serve ao bolso de graça. Se essa empreiteira prestou esse serviço no sítio, evidentemente que fez pagando algum serviço já prestado pelo ex-presidente Lula ou que, no futuro, iria dar a contrapartida. Eu vejo que a empreiteira está pagando um favor que o ex-presidente Lula fez”, destacou.

O então assessor de Lula disse também que por duas vezes recebeu envlopes lacrados com dinheiro das mãos do próprio Barbosa para levá-los a depósitos de materiais de construção a fim de pagar despesas de obras no sítio. Dados os fatos, Ataídes de Oliveira não tem dúvidas de que Lula é o verdadeiro dono do local.

“Os pertences da ex-primeira dama, do Lula, os pedalinhos não deixam dúvida alguma de que o sítio de Atibaia é de propriedade de Luís Inácio Lula da Silva. Veio agora a minuta do contrato de compra e venda do sítio”, disse o parlamentar.

Telefonemas grampeados pela Polícia Federal mostram ainda que Lula e seus filhos agem como proprietários do sítio. Em diálogos, o irmão de Fernando Bittar, um dos donos do imóvel no papel, pede autorização de Fábio Luís, o Lulinha, para levar convidados até o local. Lula pode ser alvo de ação por improbidade administrativa se comprovado que foi beneficiado ilegalmente pela empreiteira envolvida no esquema de corrupção da Petrobras.