ArtigosImprensaNotícias

“Vamos às ruas, pela democracia!”, por Solange Jurema

Convenção Nacional 2015 Solange“Vamos às ruas, pela democracia!”, por Solange Jurema

Todas nós, tucanas, devemos estar presentes nas manifestações do próximo domingo, dia 13, para dar um basta ao governo Dilma Rousseff, ao PT, a seus aliados e apoiadores insanos que pensam que a intimidação pode refrear a indignação de uma Nação.

Vamos na paz, como diz a juventude dos dias de hoje, mas com a firmeza de que nossas convicções são maiores do que as mentiras, as falcatruas e a lama que o PT e os governos de Lula e Dilma Rousseff transformaram a politica brasileira, a parte que eles comandam.

A sandice petista que ainda consegue contaminar alguns jovens idealistas beira o escárnio para com a população brasileira, com a consciência de um povo trabalhador, que vive de sua labuta diária e que não tem amigos para comprar tríplex, reformar sítio e apartamento.

O estardalhaço em torno da condução coercitiva do ex-presidente da República, Lula da Silva, para depor na sede as Polícia Federal no aeroporto de Congonhas alcançou as raias do absurdo pela reação que provocou no PT, na sua militância paga e mesmo na presidente Dilma Rousseff.

Nos verdadeiros regimes democráticos todos são iguais, como reza o artigo 5ª da nossa Constituição: “Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade,”.
Ou seja, o fato de Lula ter sido presidente da República não lhe dá direito a qualquer tipo de imunidade ou o exime de ser investigado, sempre dentro da lei.

Seu atual aliado politico, o ex-presidente Fernando Collor de Mello, já havia sido objeto de busca e apreensão em seus imóveis e escritórios e nem por isso o PT se manifestou com a fúria que vimos na semana passada. A situação é idêntica: dois ex-presidentes da República investigados por corrupção e com pleno exercício do direito de defesa.

Tenta-se criar um clima de “vitimização” do suposto líder e se atribui à oposição “de direita” e à mídia em geral “a serviço dela” a responsabilidade pelas ações do Ministério Público Federal e da Polícia Federal.

Fazem isso porque sabem que têm culpa no cartório.

Sabem que praticamente destruíram o maior patrimônio público do povo brasileiro: a Petrobras.

Sabem que a Operação Lava Jato já recuperou cerca de R$ 2 bilhões aos cofres públicos

Sabem que as delações premiadas desmascaram e expõem a podridão da relação espúria que mantiveram com as empreiteiras para saquear a Petrobras e financiar campanhas eleitorais, além do enriquecimento meteórico de seu suposto líder maior.

Contra provas, não há argumentos e os petistas não os têm para rebater, cabalmente, as acusações aos crimes cometidos pela verdadeira quadrilha que tomou conta da administração publica federal.

Roubar é crime e se torna ainda mais grave quando o ladrão ocupou o mais alto cargo do país. Roubou dinheiro de todos nós, do povo brasileiro, daqueles que trabalham 10/12 horas por dia para ganhar um salário mínimo.

Quem é acusado de roubo deve ser investigado, se defender, e ser julgado. Isso serve para um ex-presidente da República assim como para o mais humilde brasileiro.

Isso é Democracia!

É o pleno estado de Direito.

Quem argumenta o contrário tenta enganar os outros e a si mesmo, apenas desempenha um papel menor, de repetidor de chavões bradados pela militância paga e interessada em manter suas regalias no aparelho estatal.

Não se trata – como os petistas tentam convencer o povo – de uma luta do “bem” contra o “mal”.

Não se trata de um “golpe” contra a democracia, as instituições e pessoas legitimamente eleitas.

Trata-se, sim, de combater uma facção criminosa processada e julgada pela Justiça brasileira, inclusive pelo Supremo Tribunal Federal (STF), e defender a verdadeira Democracia, aquela em que os ladrões são encarcerados pela roubalheira promovida.

Vamos às ruas!

Vamos defender a Democracia!

*Solange Jurema é presidente do Secretariado nacional da Mulher/PSDB