ImprensaNotícias

Será lançada nesta quarta-feira na Biblioteca do Senado a biografia de Cunha Lima

imagem_materiaSerá lançado nesta quarta-feira (12), na Biblioteca do Senado Federal, às 19h30, o livro Ronaldo Cunha Lima, um Nordestino de Todo Canto, uma biografia de Ronaldo Cunha Lima feita com retalhos literários, e-mails, cartas, bilhetes e poemas. Nas mais de 300 páginas do livro, o escritor Diógenes da Cunha Lima, primo do biografado, conta casos pitorescos do político e poeta Ronaldo Cunha Lima, pai do atual líder do atual senador Cássio Cunha Lima (PSDB-PB). São seis décadas de poesia e cumplicidade entre dois intelectuais e amigos.

Advogado, promotor de Justiça, professor, poeta e político, Ronaldo Cunha Lima foi vereador, prefeito de Campina Grande, deputado estadual, governador do estado, deputado federal e senador. Morreu em 2013, vítima de câncer de pulmão. Apaixonado por poesia, era membro da Academia Paraibana de Letras e chegou a ser lembrado para a Academia Brasileira de Letras por alguns imortais. Tornou-se conhecido no Brasil na década de 70, quando participou de programas como O Céu é o Limite e Sem Limites respondendo sobre a vida do também paraibano Augusto dos Anjos, o singular poeta do Eu, que morreu em 191

O autor, o potiguar Diógenes da Cunha Lima, é advogado, escritor, poeta e ensaísta. Foi reitor da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). É autor de duas dezenas de livros, como Câmara Cascudo – Um Brasileiro Feliz, que já está na sua 4ª edição, e Livro das Respostas, um diálogo onírico com o Pablo Neruda de Libro de las Preguntas. Também são de sua autoria Natal – Uma Nova Biografia, Memória das Águas e O Trem da Minha Vida, entre outras obras.

‘Sem fel nem lágrimas’

Sobre o livro Ronaldo Cunha Lima, um Nordestino de Todo Canto, o autor garante que os leitores terão histórias e confissões afetuosas de um homem feito de lirismo e bom humor.

– É uma biografia sem fel e sem lágrimas, marcada pela poesia e por histórias preciosas que dão contorno à rica personalidade de Ronaldo – afirma Diógenes.

*Do portal do Senado Federal