BibliotecaImprensaNotíciassala de leitura

Saúde materna: Abismo entre favela e asfalto põe Brasil em posição de risco

Foto: Reprodução UOL
Foto: Reprodução UOL

Foto: Reprodução UOL

Um estudo sobre o bem-estar de mães e bebês pelo mundo destaca o abismo entre favela e asfalto quanto à qualidade dos serviços de saúde ofertados, tanto em cidades brasileiras como em metrópoles internacionais.

O levantamento anual “O Bem-Estar das Mães do Mundo 2015”, feito pela ONG Save the Children, coloca o Brasil em 77º lugar do ranking entre 179 países analisados, abaixo de países latino-americanos como Argentina e México.

O relatório compila dados levantados por outras instituições – de saúde materna, mortalidade infantil, educação, renda per capita e até representatividade feminina no governo – e, no caso brasileiro, cita um estudo realizado no Rio que aponta que a taxa de mortalidade de recém-nascidos chega a ser 50% maior em favelas do que em bairros mais ricos.

“Há crescentes evidências de que os bairros onde se vive têm muito a ver com o acesso à saúde de qualidade. Hospitais de boa qualidade muitas vezes estão reservados a mães que têm poder econômico”, diz à BBC Brasil Beat Rohr, diretor regional da Save the Children na América Latina.

Para ler a íntegra clique AQUI