ArtigosImprensa

“Participar para influir”, por Thelma de Oliveira

Thelma de Oliveira

Thelma de Oliveira novas liderancas SP janeiro 2015No dia 10 de maio o PSDB começa seu processo decisório para a escolha de seus próximos dirigentes municipais, estaduais e nacionais. Nessa data serão realizadas as convenções zonais e municipais do partido.

Existem exceções: no caso de municípios com mais de quinhentos mil eleitores, a convenção municipal pode ser realizada no dia 31 de maio, e inclusive, ocorrer no mesmo dia da convenção estadual.

Já as convenções estaduais serão realizadas em 14 de junho e a Convenção Nacional, no dia 5 de julho.

Mais do que se informar sobre o calendário das convenções, o importante é o engajamento e a participação das tucanas em todas elas.

Convenção é um momento de alegria, de festa, mas também, e principalmente, é um momento de discussão, de debate, de confronto de ideias e opiniões que existem dentro do partido e que nela encontram o local adequado para a tomada de decisões.

Assim, nós, tucanas, precisamos nos organizar e marcar presença em todos os eventos, e levar nossas reivindicações para sinalizar as lutas partidárias que queremos levar para toda a sociedade brasileira com o objetivo de ampliar a participação da mulher na vida político-partidária do país.

Vamos assegurar a correta aplicação do Artigo 25, do Estatuto do PSDB, que garante a presença da mulher em pelo menos 30% das vagas das direções executivas do partido, seja zonal, municipal, estadual ou nacional.

Não abrimos mão dessa conquista e hoje temos mais condições políticas de exercer plenamente esse direito, porque estamos conquistando a cada dia mais vitórias eleitorais.

Nas eleições municipais de 2012, elegemos 96 prefeitas, 83 vice-prefeitas e 726 vereadoras, um desempenho recorde em toda a história do Partido da Social Democracia Brasileira.

No pleito de 2014, marcamos nossa presença nas ruas com a garra e a determinação das tucanas, que ajudaram a levar o nosso presidente nacional, Senador Aécio Neves, ao segundo turno e quase à vitória.

Ainda em 2014 elegemos 10 deputadas estaduais e 05 deputadas federais, ampliando nossa presença nos parlamentos brasileiros, apesar de todas as dificuldades.

Esse processo de conquista não pode parar. Precisamos ampliar nosso espaço institucional no partido e, principalmente, na sociedade.

Queremos uma política de cotas mais justa, mais efetiva e mais de acordo com a realidade e a importância da mulher brasileira na sociedade. Temos que garantir um percentual mínimo de vagas nos parlamentos.

As mulheres são a maioria da população e do eleitorado e respondem por cerca de 40% dos lares nacionais e, mesmo assim, tem presença ínfima no parlamento nacional – menos de 15%.

As tucanas querem mudar isso e o PSDB-Mulher levará propostas concretas nesse sentido para aprová-las na Convenção Nacional, em 5 de julho.

A mobilização é essencial, como demonstrou o Congresso das Mulheres, em Recife, em 2012, que levou mil tucanas de todas as unidades da Federação.

Lá mostramos nossa forca partidária – somos 44% do total de filiados – e conquistamos o direito de participar com pelo menos 30% dos cargos diretivos do partido.

Agora, queremos mais.