Acompanhe

Candidatas “laranjas” não serão admitidas nas chapas do PSDB-Mulher

Desde que passou a vigorar a lei que obriga cada partido ou coligação reservar 30% de candidaturas femininas, acompanhamos nos noticiários casos de legendas que usam “candidatas laranjas” para cobrir a cota. Ao longo dos anos, o PSDB-Mulher tem inovado em suas ações e aposta em uma ampla capacitação de mulheres que pretendem disputar as eleições, impedindo assim falsas candidaturas femininas.

O principal trunfo da presidente nacional do segmento feminino, Yeda Crusius, é o lançamento de uma plataforma digital de formação política, que será disponibilizada a cerca de 10 mil pré-candidatas ao pleito de 2020.  Yeda destaca que a promoção e o incentivo para a participação feminina na política é garantido a partir de um trabalho contínuo e sistemático de formação.

Por meio da ferramenta, as tucanas terão acesso a cursos de capacitação, reuniões, e até reportagens sobre assuntos relevantes relacionados à campanha, além da produção do material de campanha e de uma central de dúvidas. Tudo para que tenham embasamento político, conhecimento e planejamento de campanha e instruções de marketing eleitoral que facilitem seu processo em busca do voto.

A mudança na Lei Eleitoral foi um dos maiores avanços que obtivemos nos últimos anos. No ranking de participação de mulheres no Parlamento, feito em 2017 pela ONU Mulheres em parceria com a União Interparlamentar (UIP), o Brasil figura na 154ª posição entre 174 países analisados. Entre 33 países latino-americanos e caribenhos, o Brasil ocupa o penúltimo lugar, à frente somente de Belize (3,1%). Para Yeda Crusius, o foco é repetir o sucesso que as tucanas tiveram nas eleições de 2018, quando elegeram a maior bancada feminina da Câmara dos Deputados entre todas as legendas com assento na Casa.

O PSDB-Mulher Nacional, na pessoa da presidente Yeda Crusius, radicalizou no cuidado para não ter em suas chapas de candidatas a figura da ‘mulher laranja’. A presidente quer repetir o êxito da eleição de 2018, ao oferecer aos eleitores, mulheres que realmente estão preparadas para representá-los em seus municípios”, afirma comunicado emitido pelo PSDB-Mulher Nacional.

O segmento feminino tucano é referência no meio político e jurídico por suas ações que visam incentivar o maior número de mulheres a se engajarem na política e pelo trabalho sério realizado.