Artigos e EntrevistasImprensaNotícias

“ A presença da mulher na política é crucial para definir políticas de justiça e equidade de gênero”, afirma prefeita do Rio Grande do Norte

14484833_191378381288433_5359393501401059896_n1. QUAL A IMPORTÂNCIA DA CONQUISTA DO VOTO FEMININO PARA A DEMOCRACIA?

Somente após anos de reivindicações, discussões e muitas lutas, as mulheres conquistaram o direito de votar e serem eleitas para cargos no executivo e legislativo. Em 1934, as restrições ao voto feminino foram eliminadas do Código Eleitoral, embora a obrigatoriedade do voto fosse um dever masculino.

Em 1946, a obrigatoriedade do voto foi estendida às mulheres. Essa conquista é de grande importância para nós mulheres, uma vez que no País, o Rio Grande do Norte foi primeiro a regulamentar seu sistema eleitoral, acrescentando um artigo que definia o sufrágio sem “distinção de sexo”, orgulho para todas as mulheres do Rio Grande do Norte, por essa grande conquista.

2. AINDA É BEM MENOR O NÚMERO DE MULHERES NA POLÍTICA COMPARADO COM OS HOMENS. PARA VOCÊ, POR QUE HÁ ESTA REALIDADE?

A realidade vivida pelas pessoas, principalmente pelas mulheres, é de muita desigualdade, pois ainda ocorrem inúmeros casos de discriminação no mercado de trabalho, diferença salarial, pois, apesar de tantas lutas, continua a ser um fato marcante entre homens e mulheres.

Ainda temos um caminho longo pela frente no que tange os costumes, ainda bem conservadores, não apenas no Brasil, mas praticamente no mundo todo.

3. O QUE FAZER PARA MUDAR ESTA REALIDADE E INCENTIVAR A PARTICIPAÇÃO DE MULHERES NA POLÍTICA?

Essa realidade possui raízes históricas que surgem desde o modelo patriarcal e patrimonialista do sistema jurídico-político brasileiro, que insistiu em deixar a mulher “atrás” do homem, em segundo plano, reservando a elas apenas os afazeres domésticos.

O princípio da igualdade acaba sendo lesado pela desigualdade de gênero. A mulher da atualidade não tem mais o mesmo perfil daquelas que se encontravam trabalhando em linhas de produção. Estar presente ou se fazer representar é, portanto, crucial para definir políticas de justiça e de equidade de gênero, melhorar a vida das mulheres e influenciar o futuro do País.

4. O RIO GRANDE DO NORTE TEVE PAPEL DE DESTAQUE EM RELAÇÃO A CONQUISTA DO VOTO FEMININO. NOSSO ESTADO TEM HONRADO ESSA HISTÓRIA?

A inserção feminina no mercado de trabalho e na política é algo irreversível e mostra tendência crescente. Cargos elegíveis para o Executivo e para o Legislativo permanecem como os de mais difícil acesso.

Se compreendermos política como parte constitutiva da organização da vida social, a ausência de poder e as restrições na participação política têm profundas implicações para a justiça de gênero. Certamente esse déficit histórico de acesso ao poder, reforçado por outros tipos de obstáculos, têm impactos profundos sobre as vidas das mulheres em suas diferentes dimensões.

É possível que as experiências de participação política, em geral, independente de cargos, mas voltadas para o exercício da democracia participativa foram muito importantes, diversificadas e contaram com a participação das mulheres. E assim, como em outras esferas no País e também no nosso Estado, há uma tendência de melhoria dos indicadores de participação política por sexo e acesso ao poder.

*Sueleide de Morais Araújo,Prefeita de Tenente Laurentino/RN