ImprensaNotícias

Crise econômica: Comércio tem a maior queda dos últimos 15 anos

Comercio-Foto-Getty-Images-1As vendas no comércio brasileiro recuaram 5,3% em julho, de acordo com pesquisa do IBGE. É a maior queda na base de comparativa com o ano passado desde o ano de 2001. Os setores de móveis e eletrodomésticos tiveram os maiores desfalques em vendas, com 12% de retração.

No ano, o volume de vendas também apresentou resultado negativo de 6,8% em 12 meses. Os números indicam a queda mais intensa da série no período. Segundo a pesquisa, 16 das das 27 unidades da federação sofreram com o recuo das vendas em julho. A maior baixa aconteceu no estado de Mato Grosso, com retração de 3,5% em comparação ao mês de junho.

Para o economista e deputado federal Giuseppe Vecci (PSDB-GO), a população com menor poder aquisitivo é a mais afetada pela crise econômica enfrentada no Brasil.

“As pessoas com menor poder aquisitivo no momento de crise como esse, num momento de recessão, sofrem mais. As pessoas estão fazendo um esforço tremendo para ver se conseguem um bico aqui, acolá, para complementar a sua renda, mas em um processo de desaquecimento com tanto desempregado se torna difícil.”

Giuseppe Vecci defende reformas estruturantes na economia do país para recuperar a estabilidade. “O governo tem que criar as condições para que os projetos de infraestrutura, os projetos maiores –  que corroem parte dos ganhos do governo – possam ser aprovados. É preciso sinalizar para o mercado, essa é uma das questões. Medidas duras que têm que ser tomadas não porque a gente queira ou porque goste, mas porque são importantes.”

ImprensaNotícias

Crise econômica: Comércio tem a maior queda dos últimos 15 anos

Comercio-Foto-Getty-Images-1As vendas no comércio brasileiro recuaram 5,3% em julho, de acordo com pesquisa do IBGE. É a maior queda na base de comparativa com o ano passado desde o ano de 2001. Os setores de móveis e eletrodomésticos tiveram os maiores desfalques em vendas, com 12% de retração.

No ano, o volume de vendas também apresentou resultado negativo de 6,8% em 12 meses. Os números indicam a queda mais intensa da série no período. Segundo a pesquisa, 16 das das 27 unidades da federação sofreram com o recuo das vendas em julho. A maior baixa aconteceu no estado de Mato Grosso, com retração de 3,5% em comparação ao mês de junho.

Para o economista e deputado federal Giuseppe Vecci (PSDB-GO), a população com menor poder aquisitivo é a mais afetada pela crise econômica enfrentada no Brasil.

“As pessoas com menor poder aquisitivo no momento de crise como esse, num momento de recessão, sofrem mais. As pessoas estão fazendo um esforço tremendo para ver se conseguem um bico aqui, acolá, para complementar a sua renda, mas em um processo de desaquecimento com tanto desempregado se torna difícil.”

Giuseppe Vecci defende reformas estruturantes na economia do país para recuperar a estabilidade. “O governo tem que criar as condições para que os projetos de infraestrutura, os projetos maiores –  que corroem parte dos ganhos do governo – possam ser aprovados. É preciso sinalizar para o mercado, essa é uma das questões. Medidas duras que têm que ser tomadas não porque a gente queira ou porque goste, mas porque são importantes.”