ImprensaNotícias

Com obras paralisadas desde 2015, imóveis do “Minha Casa, Minha Vida” são ocupados por mais de 400 famílias

minha-casa-minha-vida-foto-divulgacao-21Brasília (DF) – Os constantes atrasos e erros nas obras do programa habitacional “Minha Casa Minha Vida” adiaram o sonho da casa própria para milhares de famílias em todo o Brasil. Em Rondonópolis, cidade a 218 km de Cuiabá (MT), o residencial Dona Neuma, que faz parte do programa, está com as obras suspensas desde dezembro de 2015. Insatisfeitas com o atraso no cronograma e a má gestão legada pelo governo da ex-presidente Dilma Rousseff, mais de 400 famílias ocuparam o imóvel neste sábado (10).

Segundo o portal G1 desta terça-feira (13), a empresa responsável pelo empreendimento decretou falência e interrompeu as construções. A Caixa Econômica Federal, responsável pelo residencial, informou por meio de nota que vai entrar com pedido de reintegração do local para garantir o direito das famílias selecionadas de acordo com as regras do programa, que foi vitrine da campanha de reeleição da ex-presidente Dilma Rousseff.

A Caixa ressaltou que, após a desocupação do imóvel, será feita vistoria nas unidades habitacionais. Caso seja detectada alguma necessidade de reparo, o banco acionará a construtora responsável para recuperação das moradias. De acordo com a Caixa, os imóveis serão entregues em plenas condições de habitabilidade.

As famílias que invadiram o residencial estão cadastradas em outros programas habitacionais em áreas de Rondonópolis. No entanto, boa parte das casas ocupadas nesse residencial invadido está sem energia elétrica ou rede de água.

Ainda segundo a reportagem, a Caixa declarou que, após a retomada do imóvel, as obras serão finalizadas por uma nova empresa contratada.

Clique aqui para ler a íntegra da matéria.