ImprensaNotícias

Brasil vai importar feijão para reduzir preços e evitar escassez provocada por crise econômica de Dilma

CASCAVEL/PR - 16-02-2011 - Colheita e plantação de soja no interior de Cascavel. Foto Jonas Oliveira

Colheita de SojaNa tentativa de conter o preço do feijão, que avançou até 42% nas últimas duas semanas, o presidente em exercício, Michel Temer, anunciou que o Brasil irá aumentar a compra da semente de três países do Mercosul: Argentina, Paraguai e Bolívia. A expectativa é que a importação reduza a pressão sobre os valores e evite a escassez do grão, já que os produtores têm diminuído a área destinada ao cultivo de feijão em razão da crise econômica imposta ao país pelo governo Dilma Rousseff.

O feijão, um dos principais produtos da mesa dos brasileiros, é hoje um dos que mais pressiona a inflação, como revela matéria publicada nesta quinta-feira (23) pela Folha de S. Paulo. Em poucas semanas, o preço do quilo, que estava entre R$ 8 e 12 nos supermercados, já chega aos R$ 18, dependendo do tipo e da qualidade. Como consequência da crise, os custos da produção, os problemas climáticos e o risco da cultura do feijão têm desestimulado os agricultores a continuar com o cultivo.

Para o deputado federal Betinho Gomes (PSDB-PE), a medida pode ajudar na regulação do mercado e combater a elevação dos preços. Eu acho a medida correta para poder fazer a regulação do preço do produto, já que é um alimento muito comum na mesa do brasileiro e certamente o preço alto tem atrapalhado a vida de muitas pessoas. Então, acho que do ponto de vista emergencial é bom.”

Diante do cenário, Betinho Gomes alerta que é preciso estimular os produtores com melhorias na área logística e redução de impostos.

“Há um problema muito grave de logística no país. E a produção fica ainda mais encarecida por conta dessa situação de falta de estradas, de rodovias e ferrovias para poder fazer a distribuição dos grãos e da produção que vem da área rural do país. Então, há a necessidade de um lado buscar reduzir os custos e impostos, mas também melhorar a logística.”

A estimativa de produção do feijão na safra 2015/2016, segundo a Companhia Nacional de Abastecimento, é de 2,93 milhões de toneladas. Na safra anterior, a produção ficou em 3,1 milhões. As importações devem trazer ao país 200 mil toneladas a mais do grão.