economiaImprensaNotícias

Após saída de Dilma prévia da inflação fica em 0,4% em junho, menor valor desde 2013

Foto: Agência Brasil

Inflacao Agencia BrasilA economia brasileira deu sinais de reação nesta terça-feira (21), após a forte crise econômica imposta ao país pelo governo Dilma Rousseff. O Índice de Preços ao Consumidor – Amplo 15 (IPCA-15), considerado pelos especialistas como uma prévia da inflação oficial, passou de 0,86% em maio para 0,4% em junho. Essa é a menor taxa registrada para o mês de junho em três anos

De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgados nesta terça, no ano, o indicador acumula avanço de 4,62% – abaixo dos 6,28% registrados no mesmo período do ano passado, e, em 12 meses, de 8,98%, abaixo dos 9,62% -nos 12 meses encerrados em maio.

Entre os itens que ajudaram no recuo da prévia da inflação neste mês estão os remédios, alimentos (cenoura, açaí, tomate, frutas e hortaliças), combustíveis e passagens aéreas.

Segundo o boletim Focus, do Banco Central, a previsão do mercado para o IPCA deste ano é de 7,25%. Com isso, ainda permanece acima do teto de 6,5% do sistema de metas e bem distante do objetivo central de 4,5% fixado para 2016.

A expectativa do mercado financeiro para a inflação em 2017 ficou estável em 5,5% na última semana. Deste modo, permanece abaixo do teto de 6% (fixado para 2017), mas ainda fica distante da meta central de 4,5% para o IPCA no período.

Clique aqui e leia  a íntegra da matéria no portal G1.