ImprensaNotícias

Com afastamento de Dilma, analistas preveem recuperação mais rápida da economia brasileira

Economia Bovespa Foto Fabio Pozzebom ABrO afastamento da presidente Dilma Rousseff e a mudança no governo brasileiro já começam a mudar as previsões dos analistas sobre a recuperação da economia brasileira. Investidores divulgaram nesta quinta-feira (9) estimativas mais otimistas para o Produto Interno Bruto (PIB) e uma recessão menor do que a prevista para 2016.

Segundo matéria publicada hoje (10) pelo jornal O Globo, a previsão do Itaú Unibanco para o PIB passou de queda de 4% para recuo de 3,5%, enquanto o BNP Paribas mudou a avaliação de perda de 4% para 3%. Na semana passada, o Bradesco já tinha alterado a estimativa de recessão de 3,5% para 3%.

As revisões dos analistas podem ser justificadas pela surpresa positiva com o resultado do PIB no primeiro trimestre, que teve um recuo de 0,3%, abaixo das previsões de queda de 0,8%, ao lado da melhora dos indicadores de confiança e do processo de redução de estoques da indústria.

Alguns especialistas já preveem que a economia volte a crescer já no terceiro trimestre deste ano. No entanto, o Itaú Unibanco só vê este movimento em 2017.

Para 2017, as projeções são de avanço de 1% (Itaú Unibanco), 1,5% (Bradesco) e 2% (BNP Paribas) e não foram alteradas.