ImprensaNotícias

Senado começa a definir rito da votação do impeachment de Dilma

plenario_do_senadoO presidente do Senado Federal, Renan Calheiros (PMDB-AL), já começou a definir os principais passos do rito da votação do impeachment de Dilma Rousseff na Casa, marcada para o próximo dia 11. Como informa matéria publicada pelo jornal O Globo nesta quinta-feira (5), a sessão pode durar até 20 horas, já que cada um dos 81 senadores terá, em média, 15 minutos para discursar.

A longa duração deve fazer com que a sessão se estenda até o dia 12. A intenção de voto dos parlamentares revela que o impeachment será aprovado com folga – de acordo com levantamento realizado pelo O Globo, já são 50 senadores favoráveis ao afastamento de Dilma, nove a mais do que o necessário.

Consciente da derrota irreversível, o PT deseja prolongar ao máximo a votação, fazendo a sessão se arrastar até o dia 13, uma sexta-feira. Assim, a presidente só seria notificada na semana seguinte, já no dia 16. A legislação determina que, quando receber a notificação, a presidente deve ser afastada imediatamente de suas funções

Apesar do desejo do PT, o Senado não deve prolongar o pleito além do dia 12. A reportagem do jornal carioca destaca, ainda, que o formato da votação – nominal ou simbólica – será decidido na hora, de acordo com a vontade do plenário. Se decidir pela votação nominal, Renan deve usar o painel eletrônico da Casa.