ImprensaNotícias

Dirceu tem registro da OAB cancelado e é considerado incapaz de exercer a advocacia

Jose Dirceu Foto ABr (1)O ex-ministro da Casa Civil José Dirceu, condenado por corrupção ativa no processo do mensalão e investigado pela Operação Lava Jato, teve seu registro profissional de advogado cancelado, nesta segunda-feira (12), pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). O Conselho de Ética da entidade considerou que Dirceu não tem idoneidade para exercer a profissão. O entendimento foi confirmado pela Primeira Câmara da OAB. O ex-ministro ainda pode recorrer.

O advogado Paulo Fernando Melo, suplente de deputado federal do PSDB do Distrito Federal, foi o autor do pedido de cassação do petista. O argumento utilizado por ele foi que Dirceu perdeu os direitos políticos, por isso, alguém que não goza de direitos políticos não pode exercer a advocacia. As informações são da matéria publicada hoje (12) pelo jornal O Globo.

Além da condenação no mensalão, o petista é investigado pelos crimes de corrupção passiva, lavagem de dinheiro e organização criminosa referentes aos esquemas de desvio de dinheiro da Petrobras. O Ministério Público Federal já pediu condenação do ex-ministro pelos crimes envolvendo a estatal petrolífera.

A defesa de Dirceu requereu no mês passado um pedido de indulto (perdão a uma condenação) ao Supremo Tribunal Federal (STF). O perdão foi negado pelo ministro Luís Roberto Barroso com a justificativa de que, para receber a anistia, o preso não pode ter sido novamente condenado. Como o petista ainda não foi julgado na Lava-Jato, o ministro preferiu esperar a decisão do juiz federal Sérgio Moro.