ImprensaNotícias

Escândalos de corrupção e crise econômica ‘devastaram ambições globais do Brasil’, diz New York Times

Reprodução

1609542-capa-nyt-04-04Brasília (DF) – O fracasso da gestão da presidente Dilma Rousseff, traduzido pela crise econômica e política que acomete o Brasil e pelos crescentes escândalos de corrupção, já é destaque na mídia internacional. Um dos mais prestigiados jornais do mundo, o americano “The New York Times”, destacou em sua capa desta segunda-feira (04/04) as ligações entre a corrupção e o atual momento brasileiro.

A capa traz fotos de Dilma, do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, do senador Delcídio do Amaral, ex-líder do governo petista, do juiz federal Sérgio Moro, responsável pelas investigações da Operação Lava Jato, e de um dos grandes protestos contra o governo de Dilma. A importância dada à matéria sobre o Brasil, por exemplo, é maior que a dada a assuntos dos próprios EUA, como a indicação de um juiz à Suprema Corte ou a acirrada disputa presidencial americana.

Segundo a Folha de S. Paulo (04/04), o New York Times apontou o escândalo de corrupção na Petrobras como um dos maiores entre os países em desenvolvimento, e responsabilizou o caso por ter, aliado à crise econômica, devastado “as ambições globais” do país.

A reportagem também entrevistou o senador Delcídio do Amaral (sem partido-MS), preso pela Polícia Federal por tentar obstruir a Operação Lava Jato. O parlamentar, que até poucas semanas fazia parte do PT, contou ao jornal americano que a presidente Dilma o teria instruído a sabotar uma investigação sobre a Petrobras, convencendo juízes a libertar empreiteiros acusados de corrupção.

O NYT elencou ainda casos envolvendo o ex-presidente Lula, como as reformas pagas pelas empreiteiras Odebrecht e OAS no sítio de Atibaia e no tríplex do Guarujá, e citou o que chamou de “pânico no Partido dos Trabalhadores”: gravações em que aparecem membros do partido, como o ministro da Educação Aloizio Mercadante e o ministro-chefe do gabinete pessoal de Dilma Rousseff, Jaques Wagner.

Por fim, a reportagem ironizou a calamidade do atual cenário político brasileiro, comparando-o à famosa série de fantasia da HBO, Game of Thrones.