ImprensaNotícias

“Falas de Lula são indignantes e denigrem o movimento feminista”, diz Mara Gabrilli

mara-gabrilli-foto-george-gianni-psdb-11-300x199Brasília (DF) – “Comentários machistas, sexistas e preconceituosos”, foi o que disse a deputada federal Mara Gabrilli (PSDB-SP), em relação à conversa grampeada pela Polícia Federal entre o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o ex-ministro Paulo Vannucchi na última terça-feira (15). Em um dos diálogos, o petista questiona onde estão as feministas “de grelo duro” do PT.

Para a tucana, a fala do ex-presidente exprime um sentimento de violência e agressividade. “É muito grave e indignante a forma como ele se referiu às mulheres. É misoginia, falta de respeito e está relacionado com o tipo de caráter da pessoa”, afirmou.

De acordo com reportagem publicada nesta quinta (17) pelo jornal Extra, a indignação feminina ganhou força, também, após a liberação de uma outra conversa de Lula, dessa vez com a presidente Dilma Rousseff. Por telefone, o ex-presidente conta que quando os cinco policiais federais foram à casa da diretora do Instituto Lula, Clara Ant, ela estava dormindo sozinha e se assustou com a chegada dos agentes, acreditando ser um “presente de Deus”.

Segundo a deputada, as expressões usadas por Lula denigrem e deslegitimam o movimento feminista. “Em uma época que estamos debatendo tanto o feminismo, essa conversa de Lula enfraquece o empoderamento das mulheres. É revoltante”, completou.

Ainda na avaliação da tucana, não há justificativas para defender os comentários do ex-presidente. “Algumas pessoas estão tentando diminuir a gravidade da conversa dizendo que essa é uma expressão comum no Nordeste. Não, isso é o machismo enraizado na nossa sociedade. Não vamos deixar passar a violência, misoginia e sexismo”, concluiu a deputada.