ImprensaNotícias

Devastada pela corrupção, Petrobras vai se desfazer de 81% da rede de gasodutos

Rio de Janeiro- RJ- Brasil- 11/03/2015- Manifestantes protestam contra a corrupção com caminhada no centro do Rio até a sede da Petrobras (Tomaz Silva/Agência Brasil)
Manifestantes-protestam-contra-a-corrupcao-com-caminhada-do-centro-do-Rio-ate-a-sede-da-Petrobras-foto-Tomaz-Silva-Agencia-Brasil_0006Dando continuidade ao programa de redução de seus investimentos, a Petrobras vai se desfazer de 81% de sua rede de gasodutos. A estatal deve negociar, no segundo semestre deste ano, a subsidiária Transportadora Associada de Gás, que reúne a infraestrutura de gasodutos nas regiões Norte e Nordeste do país.
Com isso, segundo reportagem publicada nesta segunda (21) pelo jornal Estado de S. Paulo, a empresa vai perder grande espaço no mercado de gás natural e de energia elétrica.
O deputado federal e presidente da Comissão de Minas e Energia da Câmara, Rodrigo de Castro (PSDB-MG), lamenta que a má gestão da empresa durante o governo do PT obrigue a estatal a se livrar de seus ativos. “Essa é mais uma continuação de desmonte da Petrobras. Uma empresa, antes orgulho dos brasileiros, referência internacional de excelência, e que foi dilapidada durante o governo do PT. A empresa hoje encontra-se endividada, sem capacidade de investimentos e vendendo ativos que ela demorou anos para construir e que são patrimônio do povo brasileiro”, afirmou.
A Petrobras já considera também vender o controle de sua subsidiária de combustíveis BR Distribuidora, após não conseguir garantir lances por uma participação minoritária na companhia. A BR Distribuidora é dona da maior rede de postos de combustíveis do país, avaliada em certa de US$ 10 bilhões. Rodrigo de Castro critica o programa de desinvestimentos e teme por consequências negativas na economia.
“No momento que a economia está em crise e você tem uma empresa do tamanho da Petrobras desinvestindo em vez de investir, isso tem consequências muito graves para os fornecedores, para o mercado e para a taxa de crescimento da economia brasileira, que vai continuar negativa”, disse.
O programa de desinvestimentos da Petrobras para 2016 é estimado em US$ 14,4 bilhões. A companhia negocia ainda a venda de terminais de regaseificação e de usinas.