economiaImprensaNotícias

PIB encolhe 8,12% e país pode entrar na depressão econômica

Foto: EBC

Dilma_foto_arquivo_EBCA paralisia na produção se agrava ainda mais e ameaça levar o país para a depressão econômica – como em 1929, nos Estados Unidos. De acordo com matéria do jornal Correio Braziliense desta terça-feira (15), o governo Dilma Rousseff deve levar o Brasil a outra forte contração no Produto Interno Bruto (PIB), que pode retornar ao nível de 2004.

Segundo o jornal, sem ajustes sazonais, o PIB encolheu 8,12% em relação a janeiro de 2015, o tombo mais elevado desde o início da série do BC, em 2004. O péssimo desempenho pode acelerar o fim de mandato da petista, pressionada também pelas manifestações das ruas. O Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br), uma espécie de prévia do PIB, recuou 0,61% em janeiro em relação a dezembro do ano passado – 11º mês seguido de perda. Na comparação anual, a queda chega a 6,7%.

Na avaliação da consultoria de risco político Eurasia Group, Dilma deve deixar o cargo em maio, ao fim do processo de impeachment que pode começar em breve a tramitar na Câmara dos Deputados. Em relatório, a empresa americana já havia, na semana passada, elevado de 55% para 65% a probabilidade da presidente não chegar ao fim de 2018 no cargo e, nesta segunda (14), afirmou que as manifestações do domingo (13) tendem a apressar o desfecho. Mais de 6 milhões de brasileiros foram às ruas das principais cidades dos 27 estados e do Distrito Federal para pedir a saída de Dilma da Presidência e protestar contra a corrupção registrada nos 13 anos de gestão petista – um dia histórico para o país, o maior ato público já registrado no Brasil, superando as manifestações das “Diretas já” e em favor do impeachment de Fernando Collor.