ImprensaNotícias

Projeto de escola municipal de Teresina é referência para Ministério da Cultura

unnamed (8)Uma unidade de ensino municipal de Teresina foi escolhida pelo Ministério da Cultura para servir de exemplo nacional do Programa Mais Cultura nas Escolas. A Escola Municipal Monsenhor Mateus Rufino, localizada no Parque Rodoviário, zona Sul, é uma das cinco selecionadas pelo Ministério para compor um vídeo-documentário com boas práticas desenvolvidas a partir do Programa.

O objetivo é mostrar aos demais municípios ideias bem executadas pelas equipes escolares, relacionando educação e cultura. O vídeo também deve estimular a liberação de novos recursos para políticas públicas na área. A gravação está marcada para os próximos dias 22 e 23, envolvendo alunos, professores e famílias.

Em Teresina, 10 unidades de ensino aderiram ao Mais Cultura nas Escola ainda em 2013, desenvolvendo projetos que proporcionam a vivência de experiências inovadoras no processo educacional com iniciativas culturais produzidas localmente. Mais de cinco mil projetos foram selecionados, distribuídos em eixos que destacam principalmente as culturas indígena e afro-brasileira.

A E. M. Monsenhor Mateus Rufino executa com os alunos o Projeto Cultura Afro-brasileira, que utilizada música, dança, folclore, festas, culinária e linguagem no aprendizado da valorização do conjunto de manifestações do provo negro. Em parceria com a comunidade, a escola envolve quase 800 pessoas nas atividades, entre alunos, professores, pais e comunidade.

Na prática, a programação de atividades inclui aulas de capoeira, confecção de instrumentos, composição musical e palestras com diferentes temáticas, desenvolvidas também fora do ambiente escolar, como em praças e na sede da associação de moradores. Para integrar ainda mais a comunidade, a equipe escolar faz questão de convidar os moradores mais antigos para contarem suas histórias e preparem degustações de comidas com elementos da cultura afro-brasileira.

“O resultado é perceptível no comportamento dos alunos, que passam a respeitar mais uns aos outros e o espaço onde vivem”, comenta o coordenador do Programa na Rede Municipal, Reginaldo Costa. Segundo ele, a iniciativa deu tão certo que o Ministério da Cultura quer utilizar esse trabalho como referência para os demais. “O exemplo vem da aplicação exata dos recursos, do engajamento da comunidade e dos benefícios percebidos”, concluiu.