ImprensaNotícias

Para deputada, fim da gestão petista ajudará a livrar Brasil de tantos escândalos de corrupção

Foto: Alexssandro Loyola/PSDB na Câmara
Foto: Alexssandro Loyola/PSDB na Câmara

Foto: Alexssandro Loyola/PSDB na Câmara

Levantamentos recentes mostram como a corrupção foi ampliada no poder público, aumentando a percepção internacional sobre o assunto e a preocupação geral dos brasileiros. A deputada Geovania de Sá (SC) aponta como soluções para esse mal que assola a nação a mudança de governo, com a saída da presidente Dilma e de seus apadrinhados do poder, e a rigorosa aplicação de leis que garantam a transparência e a lisura no uso dos recursos públicos.

De acordo com votação popular promovida pela ONG Transparência Internacional, o petrolão é considerado o segundo maior caso de corrupção do mundo. Um estudo elaborado pela mesma organização mostra que o Brasil caiu sete posições no ranking mundial de corrupção, ficando na 76º posição, junto a nações como Burkina Faso e Zâmbia. Já pesquisa do Ibope divulgada no último dia 26 mostra que a corrupção foi apontada pela maioria dos entrevistados como o principal problema do país.

O escândalo da Petrobras recebeu 11.900 votos na pesquisa feita pela Transparência Internacional, ficando atrás apenas do ex-presidente ucraniano Viktor Yanukovych, que recebeu 13.210 votos pelo suposto desvio milionário de recursos para sua conta privada. No ranking sobre a percepção de corrupção no mundo, o índice brasileiro foi de 38 – 5 pontos a menos que em 2014, quando o país ficou em 69º lugar. Naquele ano, 175 países foram analisados –, ou seja, o Brasil piorou tanto sua posição quanto sua nota. Foi o pior resultado de uma nação no relatório 2015 comparado ao ano anterior.

A ONG mostra que os países com menos corrupção são exatamente aqueles que têm altos níveis de liberdade de imprensa; acesso à informação sobre orçamento, e altos níveis de integridade entre aqueles que ocupam cargos públicos. Geovania afirma que a população brasileira não merece sofrer as consequências devastadoras da corrupção. Não é à toa que essa seja a maior das preocupações entre os brasileiros, como aponta a pesquisa Retratos da Sociedade Brasileira – Problemas e Prioridades para 2016, divulgada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). De acordo com o levantamento, 65% das pessoas consideram a corrupção o principal problema do Brasil. O item aparece em primeiro lugar na lista dos problemas extremamente graves de 2015 – era possível citar mais de um. Em 2014, ocupava a 3ª posição, e em 2012, a 4º.

Segundo a parlamentar tucana, o governo petista é responsável por parte da corrupção instalada no país e um dos meios é o uso inadequado da arrecadação de tributos. “Não devolvem à população o que lhe é de direito”, disse. “Esse rombo na Petrobras é o resultado de tantas atividades realizadas nas gestões dela [Dilma] e do Lula. Nós precisamos libertar o país desse governo. Não há outro jeito”, aponta.

A deputada destaca que a cobrança da população nesse sentido tem crescido a cada dia, pois as pessoas entendem que quaisquer outras ações só terão efeito quando a atual cúpula não estiver mais no poder. “O que mais deixa a todos indignados é que se trata de um partido que sempre pregou a ética, mas que liderou esses escândalos todos”. Basta lembrar que o mensalão e o petrolão ocorreram em governos do PT.

O problema, avalia Geovania, é que a maior preocupação de quem governa o país tem sido de atender a interesses partidários e pessoais, enquanto os interesses da sociedade são deixados de lado. A saída do PT do governo é vista pela parlamentar como uma medida indispensável para reduzir a corrupção. É preciso ainda que se cumpra a legislação. Geovania ressalta que os órgãos e mecanismos de fiscalização precisam funcionar plenamente e garantir a transparência no uso dos recursos públicos.

“O que mais temos são leis. Mas é urgente que elas funcionem. Não adianta eu, como legisladora, apresentar novos projetos de leis, se aquilo que já existe não for colocado em prática”, destaca. A tucana chama atenção ainda para a importância da integridade moral e ética dos ocupantes de cargos públicos e governantes. Um dos meios de garantir que esses postos sejam ocupados por pessoas íntegras é, de acordo com ela, a aplicação da Lei da Ficha Limpa. A tucana afirma que é preciso fiscalizar a aplicação da lei e destaca que a população precisa estar atenta na hora do voto.

(Reportagem: Djan Moreno/ Foto: Alexssandro Loyola/ Áudio: Hélio Ricardo)

*Do site do PSDB na Câmara