ArtigosImprensa

“A inútil defesa”, por Thelma de Oliveira

Foto: George Gianni/PSDB
Foto: George Gianni/PSDB

Foto: George Gianni/PSDB

O partido dos Trabalhadores e seu presidente Ruy Falcão tentaram entabular nos dias pré-carnavalescos e nos de carnaval uma defesa inútil do ex-presidente Lula da Silva.

Sem sucesso.

Como acontece com todos aqueles corruptos pegos com a boca na botija, Lula e sua entourage petista recorreram ao velho chavão de que se trata de um “linchamento político e moral” promovido pela “oposição” e por setores “capturados pela direita”, naturalmente apoiados pela “mídia” comprometida…

Para sustentar a defesa no horário partidário gratuito de rádio e televisão, o PT apresentou um programa carnavalesco que prega o otimismo, a união e a virada no ânimo e mudança de enredo…

Toda a parafernália de fantasias e foliões é insuficiente para tornar verdadeiras as versões de que o ex-presidente Lula não é dono do tríplex no Guarujá; nem do sítio em Atibaia; e nem usou de seu prestigio pessoal para influenciar a edição de medidas provisórias para montadoras de automóveis; e nem de trafico de influência para empreiteiras, que retribuíram com polpudos honorários para palestras…

Ou seja, nenhuma resposta clara, incisiva, objetiva e esclarecedora sobre os quatro temas que levaram Lula a ser alvo de investigações do Ministério Público de São Paulo, do Distrito Federal e da Justiça Federal, no caso da Lava Jato e da Operação Zelotes.
Porque ao invés de fantasias, não mostrar documentos de que de fato ele não é nem pretendeu ser dono do tríplex em Guarujá apesar de sua esposa comandar pessoalmente a reforma do imóvel, orçada em 800 mil reais?

Porque ao invés de enredos mirabolantes, não apresentar fatos concretos que expliquem porque ele ocupa regularmente o sitio de Atibaia, inclusive mandando para lá sua mudança do Palácio da Alvorada quando deixou a Presidência da Republica?

Contra fatos, não há argumentos, diz o ditado.

Não basta recorrer ao passado de sua trajetória política pela redemocratização do país, mesmo porque a luta foi de outros tantos como Ulysses Guimarães, Leonel Brizola, Tancredo Neves, Miguel Arraes e Dante de Oliveira.

Passado político não é aval de honestidade para ninguém, muito menos para um ex-presidente do país que se notabiliza por rapidamente construir um patrimônio pessoal e familiar invejável a qualquer grande empresário.

E não dará tentar mudar o “enredo”, como pretende propaganda oficial petista. Porque as investigações continuam e continuarão, o recesso parlamentar terminou, assim como está prestes a findar o período de férias e o verão.

Março já está aí e com ele as águas de março, que limparão a política brasileira da sujeira e do lamaçal petista de 13 anos de poder central.

*Thelma de Oliveira é vice-presidente do Secretariado Nacional da Mulher/PSDB