ImprensaNotícias

“Luto pela igualdade de todos e todas. Sempre fui marcada pela vereadora que defendia o que ninguém quer ver inserido na sociedade”, Tereza Nelma

TerezaNeuzaEleita pela terceira vez como vereadora em Maceió, Tereza Nelma (PSDB-AL) trabalha pelos direitos dos portadores de deficiência, promove a inclusão, a melhoria da qualidade de vida do cidadão e a permanente defesa da legalidade. Em meio às dificuldades que as mulheres enfrentam no dia a dia, a tucana falou sobre a importância da mulher na política.

1. Qual a importância do trabalho de uma mulher numa Câmara de Vereadores?
Historicamente o cenário político sempre foi ocupado pela figura masculina. Infelizmente, hoje, ainda somos poucas nas bancadas de todo o país. Em Maceió não é diferente. Vivemos em uma sociedade predominantemente machista e de raízes patriarcais. E, a Câmara dos Vereadores por ser a casa do Povo, eu levo como missão dar voz as muitas mulheres da nossa sociedade que buscam uma vida mais digna.

2. A senhora sofreu algum tipo de preconceito por ser mulher?
Sem dúvida. Não só por ser mulher, mas por defender os desiguais. Luto pela igualdade de todos e todas. Ao longo dos meus mandatos sempre fui marcada pela vereadora que defendia o que ninguém quer ver inserido na sociedade, a exemplo dos deficientes. Mas, mesmo em passos curtos eu nã
o desisto de defender e trabalhar pelos que mais precisam.
No período de 2013 a 2014 quebrei o paradigma de não ter mulher compondo a mesa diretora e fui vice-presidenta da Câmara dos Vereadores.
Trago comigo a cor rosa, desde de o início da minha vida política. Além de gostar da cor é uma forma de reafirmar a presença feminina e mostrar que para estar no universo político eu não preciso endurecer.

3. Quais os projetos, as ações que a senhora realizou no seu atual mandato com o objetivo de melhorar a qualidade de vida das mulheres de seu município?
Sempre estou junto das questões que dignifiquem a vida. Apoio instituições de pessoas com deficiência. Estou ao lado das associações de pessoas com câncer, inclusive tenho leis aprovadas instituindo o dia Municipal de Combate ao Câncer, Dia da Fibromialgia, doença que atinge grande número de mulheres. Em 2015 foi sancionado o Dia Municipal do Voto Feminino no Brasil (24 de Fevereiro), que busca trazer conscientização e cidadania. Estou na luta para que a mulher mastectomizada seja reconhecida como deficiente, entre outras ações. Em todas as datas comemorativas realizo audiências públicas para discutir ações que tragam melhor qualidade de vida à todas.

4. Quais são os principais problemas e demandas das mulheres em seu município?
Infelizmente a área da saúde deixa muita a desejar. Temos um número incontável de mulheres precisando de atendimentos, seja consultas, realização de exames e o acompanhamento médico nos tratamentos, ainda é muito precário.

5. Pretende se candidatar novamente e a qual cargo?
Sim. Sou candidata a Vereadora. Mesmo com todas as dificuldades e barreiras eu acredito numa política do bem para pessoas de bem. Eu enfrento, pela vida!