ImprensaNotícias

Técnicos do Tesouro alertaram sobre perigo das “pedaladas fiscais” para a economia em 2013, mas governo ignorou

Foto: George Gianni/PSDB

Dilma foto George Gianni PSDBBrasília (DF) – O desastre econômico causado pelas chamadas “pedaladas fiscais”, atrasos nos repasses de recursos a bancos públicos, poderia ter sido evitado caso o governo tivesse ouvido um alerta feito pelo corpo técnico do Tesouro Nacional, ainda em 2013. Em um relatório de 97 páginas sobre a situação fiscal e econômica do país, os técnicos previram um rebaixamento do país por agências de classificação de risco, em um prazo de até dois anos, e a dívida bilionária referente aos atrasos no pagamento de subsídios.

As informações são de reportagem desta segunda-feira (14/12) do jornal O Globo. De acordo com a publicação, o relatório foi apresentado a dirigentes do Ministério da Fazenda e ao então secretário do Tesouro, Arno Augustin, tendo sido visto como um ato de rebelião de escalões inferiores.

Apesar dos sucessivos alertas, o governo prosseguiu com a estratégia, o que resultou em uma forte deterioração das contas, na elevação das dívidas, na perda do grau de investimento brasileiro pela agência de classificação de risco Standard & Poor’s, e na rejeição das contas da presidente Dilma Rousseff referentes a 2014 pelo Tribunal de Contas da União (TCU).

Para o deputado federal Alexandre Baldy (PSDB-GO), a população brasileira não aceita mais a explicação dada pela gestão petista, de que o governo não teria recursos suficientes para saldar as suas responsabilidades, entre elas os programas sociais como Bolsa Família e Minha Casa, Minha Vida.

“Realmente, não temos como aceitar essa explicação porque o governo tem que pagar as suas responsabilidades, e não pode fazer com que os bancos, como a Caixa Econômica ou qualquer outro que seja, pague as contas que o governo não consiga pagar. O que o governo fez em 2014, repetiu em 2015, mesmo depois de receber todos os alertas, tendo ciência de que deveria ter reduzido as suas responsabilidades financeiras. Assim não fez e, irresponsavelmente, colocou essa conta nas costas da Caixa Econômica”, afirmou o tucano.

O parlamentar destacou que, mesmo após os alertas, o governo da presidente Dilma Rousseff continuou gastando mais do que arrecadando, utilizando recursos que não possuía e, dessa forma, cometendo crime de responsabilidade.

“A única forma que temos de poder melhorar o ambiente econômico do país, dando o respaldo necessário no ambiente político para que o Brasil possa sair dessa crise, gerar empregos, reduzir a inflação, é trocando a presidente da República, que já demonstrou que não tem credibilidade, não possui legitimidade para dar as condições reais ao país de poder se recuperar. Todos esses crimes de irresponsabilidade fiscal e a falta de capacidade de gestão colocam em risco as famílias brasileiras”, completou Alexandre Baldy.