BibliotecaDicas da semanaeconomiasala de leiturasociedades igualitárias

Livro: “O Espelho de Cassandra”

Divulgação
Divulgação

Divulgação

Brasília (DF) – Justiça seja feita, enquanto os romances americanos muitas vezes prometem muito e falham na entrega, os franceses sempre entregam mais do que anunciam. O Espelho de Cassandra, de Bernard Werber, é um exemplo perfeito dessa afirmação; divulgado de maneira singela, o livro acabou se revelando muito mais profundo e encantador do que a sinopse deixava entrever. Escrito para fazer pensar os sonhadores, que ousam suspirar por um futuro melhor.

Sinopse da editora Betrand Brasil

Cassandra Katzenberg, de 17 anos, nunca teve uma vida normal. Sem lembranças de sua existência até os 13 anos, quando seus pais faleceram em um atentado no Egito, a jovem é considerada excêntrica, até mesmo louca, por todos à sua volta. Principalmente após começar a ter visões do futuro, tal qual sua homônima da mitologia grega, prevendo grandes tragédias para a humanidade com uma assustadora riqueza de detalhes.

Determinada a recomeçar sua vida em outro lugar, a jovem Cassandra Katzenberg foge da escola onde estudava, levando consigo um misterioso relógio que calcula sua probabilidade de morrer dentro de cinco segundos. Na fuga, encontra uma aldeia onde pessoas banidas da sociedade vivem em um verdadeiro Estado livre e independente. É ali que suas premonições finalmente serão ouvidas, e encontrará aliados com os quais poderá contar na tentativa de salvar o mundo das tragédias iminentes que somente ela tem conhecimento.