ArtigosImprensa

“Mulheres e jovens, mobilizar e organizar”, por Solange Jurema

Foto:Arquivo da Fundação Konrad Adenauer
Solange-Jurema-Foto-George-Gianni--300x199.jpg

Foto: George Gianni

A direção nacional do PSDB decidiu começar no dia 5 de maio uma campanha de filiação em todo o país voltada para as mulheres e os jovens.

É um passo importantíssimo para que o nosso partido se aproxime ainda mais da sociedade brasileira, especialmente de dois segmentos da maior importância política, econômica e social, as mulheres e os jovens.

E é, também, o momento político adequado, quando milhares de brasileiros de todas as faixas etárias, de todos os gêneros e de todas as regiões tomam conta das ruas para protestar contra a corrupção e os desmandos do atual governo federal.

É o momento de o partido se sintonizar ainda mais com esses dois setores da sociedade, que têm enorme relevância e podem contribuir, e muito, para o aperfeiçoamento da democracia brasileira.

Os jovens e as mulheres desde junho de 2013, durante a campanha eleitoral de 2014 e agora nas recentes manifestações contra a corrupção, se fizeram presente de maneira determinante.

As redes sociais, onde as mulheres e os jovens têm forte presença, foram essenciais para que milhões de brasileiros saíssem às ruas no dia 15 de março para protestar contra o atual estado de coisas.

Não se pode esquecer, em nenhum hipótese, a importância que as redes socais desempenham no atual momento político brasileiro, tendência que só crescera nos próximos anos

Essa nova maneira de fazer política, de postar ideias, sugestões e criticas parte exatamente da juventude, que mostra aos partidos que há um novo espaço de se fazer política.

E é a hora do PSDB mostrar que não só está atento a esse novo movimento social, como interage com ele com seus espaços nas redes: Facebook, instagram e sites.

Segundo as pesquisas, o PSDB já tem a preferência dos jovens na faixa etária de 16 a 24 anos, um contingente de cerca de 20 milhões de brasileiros que, em sua maioria, usam as redes sociais para discutir, debater e sugerir mudanças na realidade política do pais.

Maior atenção, nós do PSDB Mulher, daremos ao trabalho de filiação de brasileiras ao partido. Maioria da população, do eleitorado e responsáveis, sozinhas, por 40% dos lares brasileiros, a ampliação da presença da mulher no partido é essencial para o futuro dele.

No seu dia a dia, a mulher faz política na prática. Na maioria das vezes organiza a casa, sai às ruas, faz feiras, vai ao supermercado, e ainda trabalha fora.

Forma a opinião pública nesses ambientes e precisa de mais espaço institucional, que o PSDB e suas propostas podem ajudar a criar.

O PSDB é o partido que tem ações concretas e objetivas para superar a violência, o preconceito e a discriminação que a mulher brasileira sofre.

O PSDB, por suas propostas, por sua atuação Ética na política brasileira, terá, com certeza, forte adesão dos jovens e das mulheres.

Vamos ao trabalho!