ImprensaNotícias

Aloysio colhe assinaturas para CPI de fundos de pensão

Foto: Gerdan Wesley/LidPSDBSenado
Foto: Gerdan Wesley/LidPSDBSenado

Foto: Gerdan Wesley/LidPSDBSenado

Brasília – O senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP) apresentou na quarta-feira (25) requerimento no qual pede a instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar irregularidades nos fundos de pensão de quatro instituições ligadas ao governo: Petrobras (Petros), Correios (Postalis), Banco do Brasil (Previ) e Caixa Econômica Federal (Funcef). Das 27 assinaturas necessárias, já foram coletadas 22.

O colegiado vai apurar os prejuízos na administração de recursos financeiros nessas entidades. O documento cita reportagem do jornal Valor Econômico, segundo a qual pelo menos 50% do déficit da indústria de fundos de pensão brasileira vem de planos de previdência complementar de empresas estatais. “Invariavelmente, alguém deverá arcar com esses prejuízos, o que, em termos legais, significa aumento de aporte financeiro pelos participantes dos Fundos”, aponta o senador em sua justificativa.

Um exemplo disso é o rombo no fundo dos Correios em R$ 56,6 bilhões, e que seria coberto por um quarto (25%) do salário dos servidores da estatal, de acordo com O Estado de S.Paulo.

O tucano lembra ainda que o Petros é alvo de uma linha exclusiva de investigação da Operação Lava Jato, que apura desvio de dinheiro na Petrobras. O tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, é suspeito de intermediar uma reunião entre representantes do Petros e de um fundo de investimento do doleiro Alberto Youssef.

“A extrema gravidade das circunstâncias enumeradas exige resposta proporcional do Poder Legislativo federal e imediata atuação. De fato, o manejo dos recursos financeiros fruto das contribuições de funcionários e patrocinadores dessas entidades deve ser rigorosamente averiguado, pois podem estar a encobrir problemas e riscos ainda maiores que venham a trazer prejuízos irreversíveis aos funcionários das estatais e demais investidores”, alerta Aloysio.

*Da assessoria do senador