ArtigosImprensa

“As marchas em favor de um novo Brasil”, por Tieza

TiezaQuando a turma do “Vem pra Rua” começou a chamar o povo para protestar contra todos esses desmandos, fiquei muito animada, afinal, a mobilização popular em nossa cidade impediu recentemente a instalação de um mega aterro sanitário, numa das mais belas e produtivas áreas da nossa zona rural. Ora, se deu certo com o “lixão”, também vai dar certo com os outros “lixos” que têm incomodado tanto o povo. Então, vamos pra rua!

Comentando o assunto com amigos, os mais entusiasmados defendiam que, apesar da passividade do brasileiro, sua paciência andava por um fio e era bem possível que a impunidade começasse a contagem regressiva. Já os mais incrédulos diziam que a corrupção sempre existiu e que faz parte da vida; que nunca ficaremos livres dos “mensaleiros” como José Dirceu, Genoino, Delúbio, Palocci e toda essa corja de bandidos que vivem infiltrados nos altos escalões dos governos.

E entre os desconfiados, incrédulos, esperançosos e animados, acabamos indo pra rua tal como fizeram os brasileiros em vários dias de junho e em várias partes do país. Se nos emocionávamos assistindo pela TV as multidões Brasil afora, ver aquele “monte de pessoas”, com camiseta branca, subindo a Avenida Brasília, na nossa Araçatuba, “interiorzão” de São Paulo, foi demais! Era gente de todas as idades, gente de todo jeito, perdia de vista, coisa linda!

Nesses dias, as ruas do país estiveram “coalhadas” de vozes firmes e cartazes clamando pelo fim da bandalheira com dinheiro público. Em voz alta, pediram mais respeito, saúde, educação, segurança, preço justo para o transporte coletivo; pediram pela conclusão das obras públicas, quase todas paralisadas. O povo bradou em voz alta que não aguenta mais os que se apropriam do suado dinheiro do contribuinte para custear suas práticas escusas, indecorosas, escandalosas; o povo gritou alto que não aceita mais políticos, que ao encher seus bolsos, meias e a cueca com o dinheiro alheio, estão na verdade provocando a morte de milhares de inocentes, promovendo a fome e patrocinando a perpetuação das misérias escondidas atrás das bolsas, que são entregues por gente sorridente aos mais vulneráveis.

Muitos que nunca tinham participado de um movimento assim caminharam ordeiros, compenetrados, comprometidos com um Brasil mais limpo, mais justo, mais ético, mais decente. Paciência tem limite; impunidade também. Cadeia para os corruptos e tolerância zero para a corrupção, pediu o povo.

Baderneiros à parte, fiquemos firmes nesse propósito: de ajudar a varrer toda a malandragem, que deixa vermelha – de vergonha – a face verde amarela desta “brava gente brasileira”. Sejamos hábeis para saber separar o joio do trigo que se misturam na plantação; e não nos esqueçamos de que os aproveitadores de plantão não carregam a estrela na testa, por isso é prudente que quando estivermos “caminhando e cantando”, fiquemos de olhos e ouvidos bem abertos.

Tieza
Maria Teresa Assis Lemos Marques de Oliveira
Vereadora – PSDB / Araçatuba – SP
Presidente do Secretariado Municipal de Mulheres do PSDB de Araçatuba
Representante do Legislativo no Secretariado Estadual de Mulheres do PSDB / SP