ArtigosImprensa

“O PSDB e o reencontro com a verdade”, por Zilá Breitenbach

Artigo da deputada estadual Zilá Breitenbach (PSDB-RS) publicada na edição desta sexta-feira (7) do Jornal do Comércio

ALRSAo longo da última década, a democracia brasileira se tornou vítima de oportunismo. Ainda tão jovem e imatura, teve a história reescrita de acordo com a conveniência de quem está no poder. A melhoria das condições de vida dos brasileiros, consequência de uma conquista gradual e penosa, foi apropriada justamente pelo grupo político que tanto combateu as bases dessa transformação. O mesmo partido que se opôs até o último minuto à Constituição de 1988 atualmente governa uma nação politicamente estável. Aqueles que denunciavam o Plano Real como “estelionato eleitoral” colhem agora os frutos de uma moeda forte e uma economia respeitada. Quem se dizia defensor da ética protagonizou episódios vergonhosos de corrupção. Ocorre que o processo democrático se baseia no princípio da liberdade. E esse direito pode ser usado para o bem ou para o mal. Para a verdade ou para a mentira. Faz parte do jogo. No entanto, nenhum discurso falso consegue se manter em pé por muito tempo. Anos de improvisos, remendos e truques contábeis estão se refletindo em crescimento baixo, inflação alta e infraestrutura insuficiente.

Como bem definiu o senador Aécio Neves, o momento vivido pelo Brasil exige o reencontro com a verdade. Demanda uma reconciliação com a história. Requer uma análise correta do que já foi feito e uma recondução dos rumos futuros. Esse é o papel do nosso partido, o PSDB. Papel de quem sempre defendeu o projeto de um país justo e transformador, e de quem se opõe àqueles que colocam em risco tantas realizações. Com a experiência de um governo que venceu a inflação, institucionalizou a responsabilidade com o dinheiro público, universalizou o acesso ao Ensino Fundamental e revolucionou a saúde, precisamos protagonizar esse novo contexto. É hora de relembrar o passado e sentir orgulho. Olhar para o presente e reconhecer problemas. Planejar o futuro e ter esperança. É o chamado do Brasil para o PSDB.