ArtigosImprensa

“PSDB-Mulher, 14 anos de luta”, por Thelma de Oliveira

Thelma de Oliveira Foto George Gianni PSDBO PSDB-Mulher comemora seu 14º ano de existência num momento especial, o da conquista da cota de 30% dos cargos dos diretórios e suas executivas municipais, estaduais e nacional.

É um passo a mais em nossa luta para ampliarmos a presença das mulheres – e não só das tucanas – na vida político-partidária do país com repercussões em toda a sociedade brasileira.

Como mulheres estamos acostumadas a construir nossas vidas, nossos lares, criar nossos filhos e a nossa carreira profissional, com muito esforço, conquistando, passo a passo, cada uma dessas etapas.

Na política, nos partidos, não é diferente. Nos 14 anos de PSDB-Mulher cada conquista foi resultado de nossa organização, de nossa mobilização, de nossa vontade de alcançarmos mais espaços na vida política do PSDB, dos municípios, dos estados e do Brasil.

Nesse intervalo de tempo elegemos duas governadoras – Yeda Crusius no Rio Grande do Sul e Maria Abadia no Distrito Federal – aliás duas ex-presidentes do Secretariado Nacional do PSDB. Elegemos duas valentes senadoras – Lúcia Vânia em Goiás e Marisa Serrano no Mato Grosso, essa última, ex-presidente do Secretariado Nacional do PSDB-Mulher.

Além dessas, elegemos, com imensas dificuldades, centenas de vereadoras, deputadas estaduais, prefeitas, vice-prefeitas, deputadas federais. Na última eleição municipal batemos um recorde, com a eleição de 93 prefeitas, 83 vice-prefeitas e 726 vereadoras.

Agora, com a Resolução Nacional 1/13, assinada por nosso presidente Sérgio Guerra, participaremos pela primeira vez de um Congresso Nacional do partido com maior respaldo político, iniciando uma nova jornada para novas e históricas conquistas.

No ano que vem iremos participar de uma nova eleição no Brasil e as tucanas se organizarão com mais vigor e afinco. Vamos conquistar mais vagas nas listas partidárias, lutaremos por mais recursos partidários para as campanhas das tucanas e escolheremos os melhores nomes para nos representar nos governos e bancadas estaduais e no Congresso Nacional.

Quatorze anos é pouco na história política de um país, mas é muito no decorrer da consolidação de um sistema democrático depois de o Brasil passar por uma ditadura de mais de 20 anos.

As lutas políticas das décadas de 60 e 70 já sinalizavam para uma participação maior da mulher. O surgimento do PSDB-Mulher, na década de 90, foi um alento que nos trouxe mais força e disposição.

Longa vida ao PSDB-Mulher.

*Presidente nacional do Secretariado da Mulher – PSDB-Mulher