EntrevistasImprensaNotícias

Terezinha Nunes: Nunca se discutiu tanto política quanto hoje

Terezinha Nunes sorrindo entrevistaEm Brasília por um dia, para cumprir agenda com o Ministro das Cidades, Bruno Araújo (PSDB-PE), Terezinha Nunes, Coordenadora de Comunicação Social da Executiva do Secretariado Nacional da Mulher e presidente do PSDB Mulher-PE, apareceu na sede do partido para uma conversa rápida.

Pré-candidata a vereadora na cidade do Recife, Terezinha, está bastante preocupada com as restrições impostas pela nova legislação eleitoral na campanha pela internet. “Se não se permite mais visibilidade nas ruas, que pelo menos se permita na internet. Espero que nas próximas eleições corrijam esse erro grave, que vai prejudicar muito as campanhas femininas”.

PSDB Mulher – Como está Pernambuco neste momento de crise econômica profunda e desemprego?
Terezinha Nunes – Como todos os demais estados da Federação, está sofrendo bastante. Pernambuco cresceu muito nos últimos anos e apenas em 2016 já perdeu mais de 60 mil vagas de emprego, nos investimentos federais.
A Refinaria de Abreu e Lima, que tinha planos de ampliação, não os levou adiante, por exemplo. Nosso estado não está, contudo, em uma crise da dimensão das enfrentadas pelo Rio de Janeiro ou Rio Grande do Sul. A decisão do governo Temer de ampliar a proposta de renegociação das dívidas dos Estados trouxe um grande alívio, temos uma boa estrutura e estamos prontos para voltar a crescer, assim que a crise amainar.

PSDB Mulher – Você, como política experiente e pré-candidata a vereadora que é, sente alguma diferença no ânimo do eleitorado do Recife?
Terezinha Nunes – Nunca se discutiu tanto política quanto hoje. A desilusão das pessoas fez com que a apatia de antes desse lugar ao debate. Como isso vai se refletir nas urnas – se em forma de ojeriza à classe política, novos nomes despontando ou predominância de brancos e nulos, não se sabe.
Acho que as mulheres serão beneficiadas por esse quadro, por serem habitualmente associadas ao voto ético, a um modo de fazer política voltado para o social e o bem comum. Se conseguirem superar as dificuldades que enfrentam habitualmente nas eleições, principalmente a de se fazerem conhecidas, estarão bem.

PSDB Mulher – A legislação eleitoral mudou completamente, em sua opinião a vida das pré-candidatas ficou mais fácil com as alterações?
Terezinha Nunes – Não, de maneira alguma. O instrumento que hoje se tem para fazer campanha é a internet e a legislação criou vários entraves para seu uso. Ao não permitir o anúncio patrocinado no Facebook, por exemplo, o TSE impede não apenas o controle eficiente dos gastos da candidata em sua campanha, que ali é transparente; como também um tratamento igualitário entre candidatos ricos e pobres, já que o custo é baixíssimo.
Se não se permite mais visibilidade nas ruas, que pelo menos se permita na internet. Espero que nas próximas eleições corrijam esse erro grave, que vai prejudicar muito as campanhas femininas.