ImprensaNotícias

“Reestruturação da EBC é necessária”, afirmam deputados tucanos

ebc_ agencia brasilA reestruturação da Empresa Brasil de Comunicação (EBC) anunciada pelo presidente em exercício, Michel Temer, tem o apoio de deputados do PSDB, favoráveis a mudanças na empresa que permitam maior independência do seu conteúdo. A proposta, no entanto, desagrada aos aliados da presidente afastada, Dilma Rousseff, que criticaram os planos de Temer durante audiência pública realizada na Câmara dos Deputados nesta terça-feira (21).

Segundo matéria publicada nesta quarta (22) pelo jornal Folha de S. Paulo, o presidente pretende enviar um projeto de lei reduzindo a atuação e os custos da empresa. A ideia é fechar a TV Brasil, que hoje consome metade dos custos da companhia, e manter os demais negócios: agência de notícias, produção independente de conteúdo, monitoramento de mídia e portal, entre outros.

O deputado federal Betinho Gomes (PSDB-PE) é a favor das mudanças e disse que a empresa nunca conseguiu exercer uma atividade jornalística social que justificasse os gastos do governo com ela. “A TV Brasil sempre teve uma linha editorial partidária sem estabelecer o contraditório, um contraponto das informações veiculadas. Acho que em um momento de crise como esse é natural que o presidente queira cortar gastos. Manter uma estrutura de TV como aquela no momento em que Brasil está em crise me parece desnecessário. A EBC não é matéria prioritária para a população”, afirmou.

Na mesma linha de pensamento, o deputado federal Fábio Sousa (PSDB-GO) ressaltou que a EBC virou um instrumento de propagação de ideologia política e que se afastou do objetivo inicial de ser um veículo público de comunicação social. “A EBC tem um gasto exorbitante e deve ser reestruturada porque não tem audiência. Ninguém assiste. Além de não ter alcance ainda serve de cabide de empregos para aliados do PT. Isso é esdruxulo”, completou.

A EBC foi criada em 2007 para funcionar como uma rede complementar à dos grupos privados e estatais de comunicação, cumprindo previsão constitucional. Ela recebe repasses do Tesouro Nacional retirados da Contribuição Para o Fomento da Radiodifusão Pública (CFRP).