ImprensaNotícias

PSDB produziu amplo legado para o Brasil em seus 28 anos de história, diz líder na Câmara

Foto: Alexssandro Loyola/PSDB na Câmara
Foto: Alexssandro Loyola/PSDB na Câmara

Foto: Alexssandro Loyola/PSDB na Câmara

“É um partido que tem quadros excepcionais e uma perspectiva enorme de futuro”, destacou Imbassahy.

O PSDB completa 28 anos neste sábado (25) com uma história marcada por ações que ajudaram a mudar o Brasil. Protagonista no trabalho exitoso que levou à estabilidade econômica nos anos 90 e pela força do Real, moeda que afastou do cotidiano dos brasileiros o fantasma da inflação, o PSDB também é o precursor de importante projetos e programas sociais do país. O partido nasceu em 1988 e, desde então, coleciona conquistas que são de todos os brasileiros.

O líder do partido na Câmara, deputado Antonio Imbassahy (BA), afirma que são 28 anos de existência de um partido que produziu belíssimos resultados para a população brasileira a partir de reformas estruturantes como o Plano Real, a Lei de Responsabilidade Fiscal e inúmeras ações na área da saúde, como a adoção dos medicamentos genéricos; na educação, com o Fundef; e na promoção social, com iniciativas como o Bolsa Escola, o Vale Gás e a Rede de Proteção Social.

“Foram tantas coisas boas que o PSDB fez. Isso foi possível porque é um partido fundado no espírito público, com o ideário que bate exatamente com a identidade da população brasileira. É um partido que tem quadros excepcionais, que tem conduta e uma perspectiva enorme de futuro”, destaca Imbassahy.

O partido governou o Brasil durante oito anos, entre 1995 e 2002, com Fernando Henrique Cardoso. Os maiores avanços conquistados pelo Brasil nas últimas décadas têm a marca de grandes estadistas tucanos, como o próprio FHC, Franco Montoro, Mário Covas e tantos outros que ainda contribuem para um país melhor.

Durante os últimos 13 anos o PSDB foi o maior partido de oposição e se destacou no combate aos desmandos dos governos populistas petistas. A legenda teve papel fundamental no processo de impeachment de Dilma Rousseff e atualmente ajuda o governo interino de Michel Temer a reconstruir o país após a desastrosa gestão de Dilma Rousseff.

O legado dos governos do PSDB incluem reformas estruturais que modernizaram a economia, aperfeiçoaram as instituições e permitiram a implantação dos primeiros programas nacionais de transferência de renda. A boa gestão é marca dos governantes tucanos. “São 28 anos de muito orgulho, de muito trabalho e de muita confiança na direção de fazer um Brasil melhor”, conclui Imbassahy.

Confira uma breve cronologia e alguns números do partido:

1988 – Mesmo tendo nascido naquele ano, o PSDB disputou as eleições municipais e conseguiu eleger 18 prefeitos, entre eles, Pimenta da Veiga, em Belo Horizonte, e Ademir Lucas, em Contagem (MG).

1989 – O PSDB participa da primeira disputa à Presidência da República com Mário Covas. Foi a primeira eleição direta após o fim do regime militar. Desde então, o partido participou de todos os pleitos como cabeça de chapa.

1990 – O partido elege o governador do Ceará, 38 deputados federais e 67 estaduais em 19 estados.

1992 – São eleitos 293 prefeitos tucanos e 3.274 vereadores: crescimento de 1.500%. O partido participa ativamente da campanha pelo impeachment de Collor e após seu afastamento trabalha pela governabilidade de Itamar Franco. Fernando Henrique Cardoso assume o Ministério das Relações Exteriores.

1994 – Entra em vigor o Plano Real, elaborado pelo então ministro da Fazenda, Fernando Henrique Cardoso, e sua equipe. A nova moeda acaba com a hiperinflação e recupera o poder aquisitivo dos trabalhadores. Com o sucesso do Real, o tucano é eleito presidente da República no primeiro turno, com 54,28% dos votos. O partido elege também os governadores de SP, RJ, MG, PA, SE e CE. No Congresso, elege nove senadores e 62 deputados federais.

1996 – Eleitos 910 prefeitos pelo partido, entre eles, os de Cuiabá, Teresina, Goiânia e Vitória; e 6.744 vereadores em todo o país.

1998 – Fernando Henrique é reeleito em 1º turno, com 53,06% dos votos. O PSDB reelege os governadores de SP, CE, PA, MT e SE e elege os de GO e ES. O partido conduz ao Congresso Nacional quatro senadores e 99 deputados federais.

2000 – O partido faz quatro prefeitos de capitais: Vitória, Boa Vista, Teresina e Cuiabá, além de 983 outros prefeitos e 7.690 vereadores em todo país. No mesmo ano é promulgada a Lei de Responsabilidade Fiscal. Com o DNA tucano, ela fez com que os governantes passassem a obedecer a normas e limites para administrar as finanças, prestando contas sobre quanto e como gastam os recursos da sociedade.

2001 – Aécio Neves é o primeiro tucano a assumir a presidência da Câmara dos Deputados.

2002 – São eleitos pelo partido os governadores de SP, CE e PA, pela terceira vez consecutiva. Marconi Perillo é reeleito em GO. MG, PB e RO também têm os chefes do Executivo estaduais eleitos pelo PSDB. José Serra disputa a Presidência da República e termina o pleito em segundo lugar com mais de 33 milhões de votos.

2004 – O PSDB ganha, pela terceira vez consecutiva, as prefeituras de Teresina e Cuiabá. José Serra assume a prefeitura de São Paulo e Beto Richa, a de Curitiba. São eleitos 6.566 vereadores.

2006 – Oito estados elegem governadores tucanos: SP, RR, RS, MG, PR, PB, RO e AL. Para a Câmara são eleitos 66 deputados do PSDB e para o senado 14 tucanos. Geraldo Alckmin concorre à Presidência da República e fica em segundo lugar, com mais de 37 milhões de votos.

2008 – Eleitos mais de 790 prefeitos pelo partido, entre ele os de Teresina e Cuiabá, pela quarta vez consecutiva, Curitiba e São Luís. Eleitos também 5.897 vereadores.

2010 – Mais uma vez SP elege um governador tucano, além de MG, PR, RR, AL, TO, GO e PA. O partido elege seis senadores e 53 deputados federais. José Serra concorre à Presidência, conquista mais de 43 milhões de votos e fica em segundo lugar.

2013 – Aécio Neves é eleito presidente nacional do partido.

2014 – Na corrida presidencial mais disputada e com o resultado mais apertado desde a redemocratização, Aécio Neves termina em segundo lugar com 48,36% dos votos válidos. Nos estados, o partido governa cerca de metade da população brasileira, residentes em SP, GO, PA, PR e MS. Cinquenta e quatro deputados federais foram eleitos.

2016 – Em sintonia com as ruas e diante da constatação de crime de responsabilidade praticado pela presidente da República, o partido participa ativamente da luta pelo impeachment de Dilma Rousseff. Com o afastamento da petista, apresenta uma agenda de propostas ao presidente interino e presta apoio a Michel Temer em busca da governabilidade.

(Reportagem: Djan Moreno/foto: Alexssandro Loyola)

*Do site PSDB na Câmara