ImprensaNotícias

PF encontra e-mail com provas de que a Samarco sabia dos erros da tragédia em Mariana

Mariana (MG) - barragem pertencente à mineradora Samarco se rompeu no distrito de Bento Rodrigues, zona rural a 23 quilômetros de Mariana, em Minas Gerais (Corpo de Bombeiros/MG - Divulgação)

MarianaA Polícia Federal (PF) encontrou indícios de que a Samarco sabia das irregularidades que culminaram na tragédia em Mariana, Minas Gerais. Um e-mail, apreendido pelas autoridades na sede da empresa, lista os erros cometidos. A correspondência foi enviada a dois diretores da Samarco quatro dias após a tragédia.

Durante a construção da barragem de Fundão, a Samarco alterou totalmente seu projeto básico, não o enviou para a revisão, usou materiais mais baratos na drenagem e deixou de registrar as mudanças feitas. As informações são de matéria publicada nesta quinta-feira (23) pelo jornal Folha de S. Paulo.

O documento é citado pela PF no inquérito como prova de que a mineradora “sabia de todos os problemas da barragem”. A Samarco, a Vale, a consultoria VogBR e oito executivos foram indiciados por crime ambiental. Todos negam ter cometido irregularidades.

Meses depois da construção, a barragem apresentou problemas de drenagem, e a empresa contratada para fazer o projeto não quis ser responsável pela correção alegando que a Samarco já havia descaracterizado a construção, segundo a reportagem.

A barragem de Fundão ruiu em 5 de novembro do ano passado e sua lama soterrou a vila de Bento Rodrigues, matou 19 pessoas e chegou ao litoral capixaba. As investigações apontam a drenagem como um dos principais fatores que levaram ao maior desastre ambiental da história do país.

Clique aqui para ler a íntegra da matéria no jornal Folha de S. Paulo.