ImprensaNotícias

Obras do PAC serão finalizadas em prazos maiores que os anunciados por Dilma, aponta Ministério das Cidades

Foto: Roberto Stuckert Filho/PR

Foto: Roberto Stuckert Filho/PR

As obras previstas no Programa de Aceleração e Crescimento (PAC) não serão finalizadas nos prazos anunciados pelo governo do PT. Após levantamento dos projetos e das contas feito pelo Ministério das Cidades – pasta responsável pela execução do programa – o ministro Bruno Araújo (PSDB) anunciou que será necessário um tempo maior que o divulgado pela presidente afastada Dilma Rousseff para que a as obras sejam concluídas.

Com o dinheiro disponível, projetos de mobilidade urbana, por exemplo,  que tinham uma previsão de 55 anos para ficarem prontas, devem demorar no mínimo 71 anos para finalização.

O PAC era uma das principais bandeiras do governo Dilma e deve sofrer atrasos em diversas áreas. Projetos da Secretaria Nacional de Acessibilidade e Programas Urbanos, por exemplo, devem ser concluídos em pelo menos 77 anos – prazo muito maior do que o PT insistiu em divulgar em todo o país.

Em um período de quatro anos,  o custo das obras também subiu 49% e o tempo médio aumentou 106%. A falta de planejamento, de projetos de qualidade, de supervisão e fiscalização, além de estudos sobre custo e benefício, são os principais problemas do PAC.

O deputado federal Duarte Nogueira (PSDB-SP), membro da Comissão de Desenvolvimento Urbano, destaca o declínio do programa e afirma que a população foi enganada pelo governo petista. “Ela [população] foi enganada. Foi ludibriada quando foi lançado o PAC como panaceia para as soluções dos nossos problemas, sobretudo na parte de infraestrutura e de programas sociais. Dos 100%, ele teve execução pífia de 13%. Prometeu-se dobrar a meta durante a campanha eleitoral de 2014, o que não aconteceu. ”

Nogueira fala sobre o desafio do governo interino de Michel Temer de consertar os problemas deixados após 13 anos de governos do PT. “Esse é o desafio do novo governo. Colocar a casa em ordem depois desse furacão que destroçou a gestão do governo federal do nosso país, tanto do ponto de vista da eficiência, da produtividade, da decência, da corrupção e, ao mesmo tempo, do aparelhamento que fizeram para se manter no poder a qualquer custo. O governo do PT, da Dilma, do Lula, que supostamente afirmava defender os mais pobres, na verdade prejudicou os mais pobres. E entregou um ‘abacaxi’ agora para o governo que vem em seguida.”