ImprensaNotícias

Senador culpa Temer pelo desemprego na era Dilma, por Eliane Aquino

Reprodução/Facebook Lindbergh Farias
 Reprodução/Facebook Lindbergh Farias

Reprodução/Facebook Lindbergh Farias

Veja, só.

O senador Lindbergh Farias (PT) “comemorou” nessa terça-feira, 30, em sua página oficial no Facebook, o recorde do desemprego no país que, segundo o IBGE, fechou o trimestre em abril deste ano com uma taxa de desocupação acima de 11,2%.

“Recorde de desemprego: o golpe aumentou a crise”, diz o senador no texto.

O petista esqueceu que o período corresponde ao governo da presidente Dilma Rousseff.

“19 dias de governo, vários escândalos, dois ministros demitidos, sinais explícitos de retrocesso em todas as áreas, imagem internacional do país na lama, democracia em risco. Este é o legado dos golpistas: a crise piorou dramaticamente”, postou o senador, com uma foto referente aos dados divulgados pela Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad), considerado o pior resultado da série histórica que começa em 2012.

Confundiu alhos com bugalhos, mas parece que essa tem sido uma prática constante na vida pública do petista.

O erro foi percebido e o post apagado por volta das 18 horas de ontem.

Todavia, pelo menos serviu para Lindbergh reconhecer que os mais de 11 milhões de brasileiros sem emprego não são uma lorota.

Ao contrário, é reflexo da gestão irresponsável a qual ele é cúmplice.

Tão somente.

*Eliane de Aquino é membro do PSDB Mulher-AL