#MaisMulherNaPoliticaBibliotecaeducaçãoEntrevistasfeminismoImprensaNotíciaspalestraspolíticasala de leitura

PSDB Mulher é visto como modelo de organização do gênero na política por parlamentares alemães

tucanas-alemanhaRecife (PE) – Integrante da comitiva de tucanas que participam, na Alemanha, de um curso promovido pela Fundação Konrad Adenauer, a pré-candidata a prefeita de Lagoa do Carro, Judite Botafogo, revelou estar bastante entusiasmada com a troca de experiência e mesas redondas das quais tem participado no encontro que termina nesta sexta-feira (29).

A tucana aguarda um dos momentos mais esperados, marcado para amanhã (28), quando o grupo conhecerá políticas públicas de gestão municipal, nas quais pretende se espelhar para formulação de programa de governo. “Será um dos momento mais importantes conhecer políticas que tratam da sustentabilidade de uma gestão, sobretudo em nível municipal, de um país tão desenvolvido como é a Alemanha”.

Além de Judite, participam da comitiva a presidente nacional do PSDB Mulher, Solange Jurema, e mais três pré-candidatas tucanas nas eleições deste ano: Thelma de Oliveira (Chapada dos Guimarães /MT,) Almira Garms (Paraguaçu Paulista/SP) e Cínthia Ribeiro (Palmas/TO).

Segundo Judite, no encontro com integrantes do partido União Democrata-Cristã (em alemão: Christlich Demokratische Union Deutschlands –CDU) – onde as tucanas foram saudadas, em vídeo, pela chanceler Angela Merkel -, os parlamentares ficaram muito impressionados com a forma como o PSDB Mulher atua na organização das mulheres para uma maior participação na política.

Tucanas na cúpula“Do ponto de vista de organização da mulher na política nós estamos até mais avançados do que eles que, inclusive, colocaram que tomariam como modelo a forma como o PSDB Mulher se organiza. Eles ficaram muito impressionados em receber uma delegação apenas de mulheres”, conta Judite.

O processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff, naturalmente, entrou na pauta das conversas com parlamentares e representantes da Fundação Konrad Adenauer. Segundo a tucana, eles veem com “apreensão” o que ocorre hoje no Brasil, sobretudo pela insistência do governo Dilma de classificar o processo de impeachment de “golpe”.

“É natural que outros país olhem para o Brasil com apreensão, até porque impeachment é uma experiência dolorosa para qualquer Nação. Eles não conseguem entender com  muita clareza o que tem se passado no Brasil, em função de o governo insistir em passar essa imagem de vítima da presidente e de que estão montando um golpe. Mas mostramos que o impeachment está previsto em nossa Constituição e falamos dos percalços do governo Dilma. Colocamos a preocupação do PSDB com o país, que é insustentável a forma como Brasil caminha hoje, e que como está não dá para continuar”, ressalta Judite Botafogo.

*Ana Lúcia Andrade/Assessoria PSDB-PE