ImprensaNotícias

Lula, que agora fala em “golpe”, defendeu impeachment de Collor por refletir “vontade da nação”

presidente-lulaPrincipal articulador do governo contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff, o ex-presidente Lula defendeu a perda de mandato do então presidente Fernando Collor de Mello, em 1992, com o argumento de que o Congresso precisava dar uma resposta à vontade da maioria da população.

Agora, 24 anos depois, o mesmo Lula diz que o impeachment de Dilma é “golpe” e um “ato político” que tem como objetivo derrubar um governo eleito democraticamente para atender ao anseio de parte da população. A mudança de postura do petista pode ser comprovada no vídeo em que Lula comemora o impeachment de Collor após sua aprovação no plenário da Câmara dos Deputados.

O vídeo foi gravado minutos após os deputados aprovarem o pedido de afastamento do ex-presidente. “O Congresso Nacional deve, puro e simplesmente, retratar aquilo que é a vontade da nação brasileira”, disse Lula na época. Confira aqui o vídeo com a declaração de Lula.

Pesquisa realizada pelo Datafolha, divulgada no sábado (9), mostrou que 61% dos brasileiros são favoráveis ao impeachment de Dilma. Somente 33% se declararam contrários à perda do mandato da presidente. Ou seja: o impeachment tem o apoio da ampla maioria da população, mas Lula insiste na versão de que o processo é “golpe”, ao contrário do que afirmava no passado recente.