ImprensaNotícias

Sítio em Atibaia seria transferido para Lula, mostra contrato encontrado no apartamento do petista

O ex-presidente Lula da Silva se reúne com as bancadas do PT no Senado e na Câmara (Valter Campanato/Agência Brasil)

VC_Lula-reuniao-bancadas-do-PT-Camara-e-Senado_290620150006Brasília (DF) – Surgem mais indícios de que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, investigado pela Operação Lava Jato, seria o verdadeiro dono do sítio Santa Bárbara, em Atibaia (SP). Em uma operação de busca realizada pela Polícia Federal no apartamento de Lula, em São Bernardo do Campo, os investigadores encontraram a minuta de um contrato de 2012 de compra e venda do sítio, que seria transferido para o nome de Lula e de sua esposa, Marisa Letícia.

No documento, divulgado em reportagem exclusiva da revista Veja (17/03), Fernando Bittar, sócio de um dos filhos de Lula e um dos donos oficiais do sítio frequentado pelo petista e sua família, transferia a propriedade do local para o ex-presidente pelo valor de R$ 800 mil. Na minuta, não assinada, Lula se comprometia a pagar R$ 200 mil de entrada, no ato da compra, e a quitar o restante da dívida em três parcelas de R$ 200 mil.

“Pelo preço adiante ajustado, vendem, ao comprador, o imóvel descrito, transmitindo-lhe desde já, a posse, domínio, direitos e ações que sobre o mesmo tinham e exerciam, para que dele, o comprador use, goze e livremente disponha como bem e melhor lhe convier”, diz a minuta do contrato.

Vale lembrar que, apesar de usar o sítio frequentemente para descanso durante os fins de semana, tendo adquirido um barco e até mesmo pedalinhos para seus netos, Lula nega ser o proprietário da propriedade. O sítio é alvo das investigações da Operação Lava Jato desde que foi revelado pela imprensa que as obras no local haviam sido realizadas, e em parte custeadas, pela construtora Odebrecht.