ImprensaNotícias

Maior ato político da história do Brasil supera Diretas Já e dá o recado das ruas, dizem tucanos

CAPA ESTADÃOBrasília (DF) – As manifestações que tomaram todo o Brasil neste domingo (13/03) superaram, segundo institutos de pesquisa, historiadores e estimativas da Polícia Militar, os protestos pelas Diretas-Já, que pediram eleições presidenciais diretas nos anos 1980, e os de junho de 2013, desencadeados em todo o país pelo aumento do preço das passagens do transporte público. O total de manifestantes foi estimado em mais de 6 milhões – 1,4 milhões apenas na cidade de São Paulo. As manifestações aconteceram em todos os estados e no Distrito Federal, em 121 cidades.

Os protestos também foram inflamados pelo avanço das investigações da Operação Lava Jato, que agora seguem na direção do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Brasileiros exaltaram a figura do juiz federal Sergio Moro e elogiaram a atuação da Justiça e da Polícia Federal.

Presentes nas manifestações Brasil afora, líderes tucanos endossaram o coro de milhões de brasileiros que exigiram um basta do atual governo. Para o líder do PSDB na Câmara, Antonio Imbassahy (BA), que compareceu ao ato em São Paulo, o recado das ruas foi dado.

“As ruas de todo o Brasil deram o recado, nas maiores manifestações já vistas: querem a saída da presidente Dilma, que cometeu crime de responsabilidade, mentiu e se beneficiou do petrolão. Agora, cabe ao Congresso Nacional atender a esse chamado e acelerar o processo de impeachment. Os brasileiros estão atentos e não darão uma segunda chance aos parlamentares que faltarem ao país”, destacou em sua página no Facebook.

O líder do PSDB no Senado, Cássio Cunha Lima, também se manifestou nas redes sociais e nas ruas de Campina Grande (PB). “Grande manifestação em Campina Grande, na qual venceram a civilidade e a cidadania. O povo é o protagonista do seu destino”, disse. E acrescentou: “Vim como cidadão. O protagonismo é do povo. Volto a Brasília para representar esse sentimento de mudança”.

O deputado federal Carlos Sampaio (SP), coordenador jurídico do PSDB, classificou o 13 de março como um dia histórico. “Mais uma vez, deixamos clara nossa indignação com toda essa bandalheira que o Lula, a Dilma e o PT implantaram no país. Eu e minha família nos juntamos aos milhões de brasileiros que tomaram as ruas neste domingo para dar basta à corrupção deste governo”, afirmou.

Em sua página no Facebook, o parlamentar, que esteve ao lado do presidente nacional do PSDB, Aécio Neves, e de diversos líderes da oposição em São Paulo, ressaltou que as maiores manifestações já registradas nos últimos anos não deixam dúvidas sobre o “desejo dos brasileiros de bem”.

Insatisfação

Para o líder da Minoria na Câmara, deputado federal Miguel Haddad (SP), o sentimento que resume os atos de domingo e que motivou os brasileiros a saírem às ruas é a insatisfação. “O movimento de ontem não foi em uma região, em um Estado, em uma cidade. Ele aconteceu de forma uniforme, em todo o país, e na grande maioria das cidades ele superou qualquer outro movimento feito até hoje. Isso demonstra a insatisfação da população e pressiona, naturalmente, o Congresso para que avance no processo de impeachment. Pressiona também a Justiça, e principalmente o STF [Supremo Tribunal Federal], para que julgue rapidamente o processo que está nesse momento sendo apreciado”, considerou.

O tucano apontou que o Brasil não suporta mais a recessão e a série de problemas causados pela gestão petista e pelos anos de gestão de Dilma Rousseff.

“A motivação desse grande número de pessoas presentes, naturalmente, é o embate à corrupção. Toda vez que você amplia as investigações, vai encontrando mais pessoas envolvidas, um volume imenso. Há também uma insatisfação em relação ao processo econômico: o desemprego, a inflação, o preço dos produtos no supermercado, o desaquecimento da economia. Cada dia tem um fato novo. O quadro é gravíssimo, e é fundamental que a presidente Dilma tenha clareza disso”, completou Haddad.