ImprensaNotícias

Governadores tucanos se destacam por ações em defesa das mulheres

Foto: Corbis Images
Foto: Corbis Images

Foto: Corbis Images

Protagonistas de uma luta história em busca de igualdade de gênero e na batalha por direitos básicos, as mulheres brasileiras conquistaram diversas vitórias ao longo das últimas décadas. Mas os direitos iguais entre homens e mulheres ainda são uma realidade distante no Brasil.

Com o objetivo de mudar esse cenário, o PSDB trabalha para aumentar a participação das mulheres em diversas áreas que, culturalmente, têm predominância masculina. Além disso, o combate ao feminicídio tem sido uma prioridade das políticas públicas adotadas pelos governos tucanos em diversos estados brasileiros.

No Dia Internacional da Mulher, a reflexão sobre a sua real situação de vida no país deve tomar à frente das comemorações.

Violência

O Brasil ocupa a 5ª posição no ranking global de homicídios de mulheres, entre 83 países elencados pela Organização das Nações Unidas (ONU), atrás apenas de El Salvador, Colômbia, Guatemala e Rússia. Os números constam do estudo “Mapa da Violência 2015: Homicídios de Mulheres no Brasil”, realizado pela Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais (Flacso), a pedido da ONU Mulheres.

O estado do Paraná, governado por Beto Richa (PSDB-PR), lançou em Curitiba uma campanha de combate à violência contra as mulheres, intitulada “Chega de Violência”. A ação é o início dos eventos que comemoram o Dia Internacional da Mulher no estado.

O objetivo da campanha é conscientizar a população para os crimes que atingem a mulher e incentivar as próprias vítimas, familiares e pessoas próximas, para que denunciem os agressores.

A gestão de Richa possui o Plano Estadual de Políticas para as Mulheres. Para atender as mulheres que moram em áreas rurais, o governo colocou em operação, em 2015, duas unidades móveis que percorrem o Paraná levando informações sobre os serviços de assistência, psicologia e direito, registro de denúncias, orientação sobre os direitos da mulher em situação de violência e esclarecimentos sobre a Lei Maria da Penha.

As ações integradas de diversas secretarias e órgãos já têm apresentado resultados. Em 2015, o Paraná saiu da 3ª colocação no Mapa da Violência contra a mulher para ocupar a 19ª posição no ranking.

O governador do Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB-MS), assinou nesta terça-feira (8) uma carta compromisso com as políticas públicas para mulheres. Parcerias entre os órgãos governamentais para colocar em prática ações com o objetivo de fortalecer a participação feminina nos espaços de poder e reduzir índices de violência são prioridades da sua administração.

Outro estado que inovou em favor das mulheres foi o Pará, administrado por Simão Jatene (PSDB-PA). As paraenses podem contar com um sistema de informação que permite a integração de serviços médico, psicossocial, de defesa social e perícia em um único espaço virtual. Denominado de Pro Paz Mulher, o modelo de atendimento é pioneiro no Brasil, por adotar uma concepção de trabalho que agrega, em um único espaço, todos os serviços necessários a uma assistência imediata, humanizada e eficaz às vítimas de violência.

Em São Paulo, a assistência às vítimas de violência doméstica é referência em todo o Brasil. O governador Geraldo Alckmin (PSDB-SP) apoiou a criação da Promotoria de Justiça de Combate à Violência Doméstica, no ano passado, o que contribuiu para o registro das ocorrências e para o trabalho de prevenção.

São Paulo é precursor na criação das Delegacias de Defesa da Mulher (DDMs). Atualmente, existem mais de 130 unidades espalhadas por todo o estado. A primeira delas foi inaugurada há mais de 30 anos.

Saúde

O Estado de Goiás, dirigido pelo governador Marconi Perillo (PSDB-GO), organiza nesta terça-feira (8), em parceria com a Secretaria da Mulher, uma frente de mobilização social intitulada ‘Bolsa de Mulher Cabe Tudo’.

O objetivo da campanha é arrecadar de escova de dente, creme hidratante, creme dental, absorvente, maquiagens, peças íntimas e espelho para as mulheres que se encontram em estado de vulnerabilidade social. Uma vasta programação foi elaborada para assistência feminina durante todo o mês de março.

Igualdade de gênero

O governo de Mato Grosso, administrado pelo tucano Pedro Taques (PSDB-MT), ressalta a importância de promover a igualdade entre homens e mulheres por meio do Programa da Organização das Nações Unidas (ONU): “Eles Por Elas”.

A ideia da ação é convocar homens para serem voluntários na busca dos direitos femininos. A programação do estado pretende atingir quase 300 mil pessoas com o projeto “Caravana da Mulher Mato-grossense: Direitos e Cidadania”, ação programada para ocorrer em escolas, comunidades rurais e locais de grande concentração do público masculino.

Mercado de trabalho

No mercado de trabalho ainda persiste a exclusão feminina na distribuição de cargos e lideranças. O governador Reinaldo Azambuja também mostrou preocupação com essa área. Ele firmou uma parceria com a Fundação do Trabalho de Mato Grosso do Sul (Funtrab), que vai disponibilizar vagas nos cursos oferecidos pela Casa de Qualificação para mulheres em situação de violência