ArtigosArtigos e EntrevistasBibliotecafeminismoImprensaPolítica

“A alegria e o privilégio de ser mulher”, por Isabel Helena

Presidente do ITV/RN, Isabel Marinho vem à Convenção do PSDB e pede oposição a favor do BrasilGostaria de registrar com alegria a comemoração alusiva às mulheres, sobretudo às mulheres brasileiras, pela garra, coragem, dinamismo e pela incansável luta da tripla jornada. Afirmo “tripla jornada” sim, pois, muitas são mães, profissionais e ainda, nas horas que deveriam estar de folga, estudam, em busca do conhecimento e qualificação, como forma de se inserirem no mercado de trabalho, tornando-se cada vez mais qualificadas e produtivas.

Ressalto, entretanto, que mesmo com a determinação que é peculiar a uma gama de mulheres, ainda nos resta conscientizar uma grande maioria, sobretudo de mulheres anônimas que desconhecem e não tem oportunidade de acesso ao conhecimento, nem mesmo ao mercado de trabalho.

Outras, por sua vez, ignoram seus direitos e se deixam enveredar pela dependência econômica e porque não dizer psicológica, depondo contra tudo que alcançamos e contra as conquistas que, certamente, advirão em razão de sermos seres incansáveis, guerreiras.

Determinadas, destemidas, espoliadas e destratadas, porém, por vezes discriminadas, por seres deploráveis, abomináveis, que desconhecem a dignidade da pessoa humana, nossos princípios constitucionais, conclamo a todas para continuar lutando, incansavelmente, a exemplo das grandes mulheres da história, como Maria, mãe de Jesus, Eva que seduziu o primeiro homem, Nefertiti, esposa de Akhenaton, Inês de Castro, dos Lusíadas de Camões, Maria Madalena, prostituta que se destacou junto a Jesus, Helena de Tróia, Joana D’Arc, na Idade Média, Anne Fischer, primeira mãe a ir para o espaço, Cleópatra, rainha do Egito, inteligente e sedutora, Leila Diniz, independente e emancipada, Dandara Brasil, Chica da Silva, Ana Neri, enfermeira, Anita Garibaldi, a heroína dos mundos, Chiquinha Gonzaga, autora da primeira marcha carnavalesca, Simone de Beauvoir, escritora e filosofa, destacando-se sobre o livro “Segundo Sexo”, Raquel de Queiroz, primeira mulher a ingressar na Academia Brasileira de Letras, Margareth Thatcher, Primeira Ministra Britânica, Maria da Penha, vítima de atentados praticados pelo ex-marido, Tarsila do Amaral, pintora, Bertha Lutz, deputada federal que criou a Fundação Brasil para o Progresso, Ruth Cardoso, antropóloga e professora universitária, criou o Programa Comunidade Solidária, Combate a exclusão e a pobreza, Wilma de Faria, primeira mulher a governar o Rio Grande do Norte, Celina Guimarães, primeira mulher eleitora do Brasil, Alzira Soriano, primeira prefeita da América Latina, e tantas outras notáveis as quais externo meu carinho admiração.

Contudo, a mais notável de todas é uma mulher pequenina, aparentemente frágil, nordestina e muito amada, em nome desta mulher, minha mãe, Zélia Meira Silva, homenageio todas as mulheres notáveis e a todas as mulheres brasileiras.

Finalmente deixo o registro, alegria e privilégio de ser de ser “MULHER”.

*Isabel Helena é presidente do ITV/RN