ImprensaNotícias

Recessão no Brasil será mais longa e mais forte do que esperado, diz relatório do FMI

EconomiaBrasília (DF) – Um relatório elaborado pelo Fundo Monetário Internacional (FMI) e que será apresentado durante a reunião do G-20 nos próximos dias 26 e 27, na China, alerta que a recessão no Brasil tem se mostrado mais longa e mais forte do que o esperado. O documento recomenda que o governo da presidente Dilma Rousseff melhore as contas fiscais e diz que é “imperativo” que o país adote um conjunto de medidas econômicas apropriadas.

Segundo reportagem publicada nesta quinta-feira (25/02) pelo jornal O Estado de S. Paulo, o FMI destaca que reformas estruturais no país serão essenciais para melhorar a produtividade, infraestrutura e competitividade. O documento aponta ainda que a redução da inflação para a meta de 4,5% até 2017 “vai exigir uma política monetária apertada”.

Para o deputado federal Nelson Marchezan Jr. (PSDB-RS), o documento elaborado pelo FMI é uma constatação internacional e técnica de tudo aquilo que o PSDB já vinha alertando ao longo da última década de governo do PT.

“O Brasil não chegou aonde está de graça. Chegou aqui com muito esforço do PT para destruir tudo o que foi construído ao longo do governo do PSDB, toda a estabilidade, as estruturas organizacionais, tanto da área macroeconômica quanto das questões institucionais, foram destruídas. O combate à inflação, o controle do gasto público, o combate à corrupção. Assim o PT levou o Brasil a essa situação caótica, e com perspectivas de piora”, afirmou.

Apesar de lamentar o patamar econômico em que o Brasil se encontra, o parlamentar ressaltou que o alerta do FMI não é uma surpresa.

“É lamentável isso, mas a gente precisa registrar: não foi uma surpresa. Só é diferente da propaganda do PT. A realidade sempre foi essa. O que a gente percebe é que não há na presidente Dilma, no ex-presidente Lula, na estrutura de governo, a liderança e nem o comprometimento necessário para realizar as transformações e as reformas que o Brasil precisa. Não há capacidade de diálogo, não há capacidade de liderança, não há capacidade moral, técnica, e não há o interesse público como a principal bandeira deste partido e desse governo”, considerou.

Imagem no exterior

No relatório, o FMI prevê ainda que a economia brasileira deve encolher 3,5% este ano, e terá crescimento zero em 2017. É o pior desempenho entre todas as economias do G-20. Na contramão brasileira, os mercados emergentes devem ter expansão de 4,3% em 2016 e 4,7% no ano que vem. Já para os países do G-20, a previsão de avanço é de 3,4% e 3,7%.

“A perceptiva e a imagem do Brasil se deterioraram com velocidade. Ficou transparente tudo aquilo que o PT conseguiu esconder durante muito tempo, tanto do mundo como de muitos brasileiros. Hoje a gente diria que o rei está nu. O PT mostra tudo aquilo que foi capaz de destruir ao longo de uma década. O mundo inteiro está vendo”, acrescentou o deputado Marchezan.

O tucano ressaltou que o país precisa se recuperar, mas que esse caminho passa por uma mudança de política e de gestão.

“Precisamos nos recuperar, mas com esse governo, com esse partido, com essas pessoas, com esses princípios morais, éticos e de gestão, não haverá recuperação. Por isso nós precisamos de imediato trocar o governo, trocar a presidente, trocar esse grupo político-partidário de apoio que levou o Brasil a essa situação”, completou o parlamentar.