EntrevistasNotícias

Muita gente se identificou com discurso cobrando afastamento de Cunha, diz Mara Gabrilli

Cercada por deputados do PSDB, parlamentar atraiu a atenção de todo o Plenário com sua fala Foto: Gustavo Lima/Agência Câmara
Cercada por deputados do PSDB, parlamentar atraiu a atenção de todo o Plenário com sua fala Foto: Gustavo Lima/Agência Câmara

Cercada por deputados do PSDB, parlamentar atraiu a atenção de todo o Plenário com sua fala Foto: Gustavo Lima/Agência Câmara

“Chega, senhor presidente. O senhor não consegue mais presidir. Levanta dessa cadeira, Eduardo Cunha!” Este foi um dos trechos mais significativos do duro discurso da deputada Mara Gabrilli (SP), terceira-secretária da Mesa Diretora da Câmara, na última quinta-feira (23). O pronunciamento silenciou o Plenário Ulysses Guimarães e fez com que dezenas de deputados atendessem o chamado da tucana e abandonassem a sessão em sinal de protesto. Após a ampla repercussão da fala, Mara concedeu entrevistas a veículos de comunicação nos últimos dias e disse que verbalizou o sentimento de muita gente.

(RE)VEJA A ÍNTEGRA DO PRONUNCIAMENTO

“Eu vi muitos deputados se desengasgarem. Eu não sei o que vai acontecer daqui para frente, mas foi marcante. Eu achei um movimento genuíno e sem volta”, apontou. Na opinião da parlamentar, sua fala mexeu com Cunha e o deixou constrangido. “Muita gente se identificou. Precisamos de uma virada. Essa é uma situação que afeta diretamente o meu trabalho”, completou.

A tucana explicou que seu discurso foi motivado por sua percepção de que a Câmara estava sendo “totalmente desmoralizada” naquele momento por conta da manobra que impedir a reunião do Conselho de Ética para leitura do parecer do deputado Fausto Pinato (PRB-SP). “Vi a ética se esvaindo naquela hora”, declarou a tucana. A parlamentar disse que em nenhum momento se sentiu intimidada e tampouco agrediu Cunha com a sua fala.

LEGITIMIDADE MINADA

Mara ponderou que o PSDB deu a o presidente da Câmara o direito de defesa e a presunção de inocência. No entanto, a defesa sobre as contas secretas na Suíça foi considerada inconsistente, levando o partido a reiterar o pedido de afastamento de Cunha do cargo.

A tucana avalia, ainda, que a situação de Cunha está piorando cada vez mais e ele perdeu a legitimidade para continuar exercendo a sua função institucional. Ainda na opinião da parlamentar, “ficou bem claro que ele está fechado com o governo: me salva que eu te salvo”, declarou ao se referir ao pedido de impeachment contra Dilma, que precisa do aval do presidente da Câmara para avançar.

NOVA REUNIÃO

O presidente do Conselho de Ética, deputado José Carlos Araújo (PSD-BA), marcou para terça-feira (24) nova reunião para a leitura do relatório de Pinato (PRB-SP). Araújo afirmou que pretende votar o relatório no dia 1º de dezembro. O conselho se reunirá a partir das 14h30 em Plenário a ser definido.

ÍNTEGRA DO PRONUNCIAMENTO DE MARA GABRILLI

“Sr. Presidente, eu sou a Deputada aqui que mais dificuldade tem para chegar às sessões da Câmara. Eu sou a Deputada aqui que, com certeza, mais se esforça para estar aqui. Eu sou uma Deputada, Sr. Presidente, que procura dar exemplo. Eu procuro dar exemplo de ética, eu procuro dar exemplo de superação, eu procuro dar exemplo de moral. Muitas vezes, Sr. Presidente, eu fico ali, tremendo de frio e, mesmo não tendo desconto do meu salário por estar na Mesa, eu fico na sessão, porque eu acho que tenho de dar exemplo para os brasileiros.

Sr. Presidente, eu sei que o senhor nutre admiração por mim, eu gosto do senhor, mas gostar do senhor não me fez ficar decepcionada, gostar do senhor não me fez perceber que o senhor nos chama de imbecis, muitas vezes. Eu peço ao senhor: o senhor tem que dar exemplo. O senhor não está mais dando exemplo, o senhor está perdendo a cada dia a legitimidade de presidir.

Eu convido todos os Deputados a saírem desta sessão. O que o Felipe Bornier, este Deputado, fez aqui não se faz. O senhor tem que revogar esse ato e valorizar a nossa Comissão de Ética.

O senhor está com medo, Sr. Presidente? É isto que está acontecendo?

Eu convido todos os Deputados a deixarem esta sessão, pela ética, pela moral, que nós temos de ter por esta Casa, e pelo povo brasileiro, que nos trouxe aqui.

Chega, Sr. Presidente, o senhor não consegue mais presidir! Levanta desta cadeira, Eduardo Cunha!”

(Da redação/ Foto: Gustavo Lima – Câmara dos Deputados)

*Do site do PSDB na Câmara