EntrevistasImprensa

“Em nenhum momento eu fiquei intimidada”, afirma Mara Gabrilli sobre discurso contra Cunha

Foto: Luis Macedo/Ag.Câmara

mara gabrilli foto Luis-Macedo-Câmara-dos-Deputados“Eu convido todos os deputados a deixarem essa sessão. Pela ética, pela moral que nós temos que ter por esta casa e pelo povo brasileiro que nos trouxe aqui. Chega, senhor presidente. O senhor não consegue mais presidir. Levanta desta cadeira, Eduardo Cunha. Por favor”. Com estas palavras, proferidas com a mais absoluta tranquilidade, a deputada federal Mara Gabrilli (PSDB-SP) encerrou o discurso que deixou boquiabertos os presentes ao plenário da Câmara na última quinta-feira (19/11).

Após a repercussão nacional das declarações da parlamentar paulista, o jornal O Globo conversou com Mara. Veja aqui alguns trechos da entrevista da deputada:

“Eu senti a Câmara sendo totalmente desmoralizada por conta da manobra que ele comandou para impedir a sessão do Conselho de Ética, denegrindo nosso próprio Conselho. Vi a ética se esvaindo naquela hora”

“O PSDB lhe deu o direito de defesa e a presunção de inocência. Até que ele resolveu fazer uma declaração de defesa subestimando a inteligência de todos nós. A partir daí, o PSDB entendeu que ele não tinha mais nenhuma legitimidade para continuar no cargo e conduzir um processo de impeachment.”

” O Lula há muito mistura o público com o privado, o lícito com o ilícito. Não tem credibilidade nenhuma aquilo que o Lula fala. É um mentiroso contumaz e chega uma hora que ele começa a acreditar na própria mentira”

“Não sei o que vai acontecer no Conselho de Ética ou no Supremo. Mas o que posso dizer é que Eduardo Cunha não é mais um exemplo.”

“Em nenhum momento eu fiquei intimidada. Eu acho que ele sentiu, no coração, o que eu estava falando. Porque eu fui verdadeira e em nenhum momento eu o agredi. E ele sabe disso.”

Leia a entrevista completa publicada no jornal O Globo clicando aqui.