ImprensaNotícias

BNDES contraria norma para emprestar R$ 101,5 milhões a amigo de Lula investigado pela Lava-Jato

BNDES-Foto-BNDESBrasília (DF) – O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) contornou uma norma interna que o proíbe de conceder empréstimos a empresas que tenham tido a falência requerida na Justiça e concedeu crédito de R$ 101,5 milhões ao pecuarista e amigo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, José Carlos Bumlai, um dos alvos da Operação Lava-Jato. As informações são da Folha de S. Paulo deste domingo (1º).

De acordo com a reportagem, o apoio foi dado em julho de 2012, época em que os negócios de Bumlai enfrentavam sérias dificuldades financeiras. Nove meses após a operação, a empresa do pecuarista entrou na Justiça com pedido de recuperação judicial por não conseguir pagar as dívidas que tinha no mercado.

Normas internas do BNDES proíbem empréstimos a empresas nessas condições, para evitar que o banco dê crédito a quem não tem capacidade de pagar.

O empresário já havia sido alvo de um pedido de falência quando conseguiu o crédito do BNDES. O pedido foi feito em novembro de 2011por um fornecedor que levou calote em uma dívida de R$ 523,2 mil.

Segundo a Folha, a empresa de Bumlai que recebeu os R$ 101,5 milhões é a São Fernando Energia 1, criada para produzir eletricidade a partir de bagaço de cana. Ela integra um grupo de cinco empresas de Bumlai que vive situação pré-falimentar.